Violei Uma Menina, Quebrei Seu Cabaço Aos 15 anos!

09 de Abril de 2018 Songeun Aventura 219

Reportagem especial (UOL)
Dona de Casa revela na Internet: A pílula milagrosa que curou a disfunção erétil do MARIDÃO pra sempre! Ler matéria


Meu nome é Eduardo moro com meus pais mas minha mãe era de uma igreja cristã, eu não gostava só ia para não ficar escutando ladainha nos meus ouvidos.
Conheci a Débora uma menina de quinze anos e eu já tinha 28 anos, comecei a fazer amizade com ela em um grupo onde os jovens se reuniam para assistir filmes, ouvia uma pregação da obreira líder do grupo.
Nesse domingo ela chegou toda sexy muito gostosa com uma mini saia, uma cinturinha de violão e seus seios eram pequenos.
O que me deixava ferverdo foi saber que a danada era virgem, eu sempre gostei de arregaçar uma bocetinha e aquela não seria diferente.

Ficava direto na igreja no domingo na tentativa de pega-la e pra mim o destino reservou uma única oportunidade de desflorar essa gatinha.
Nessa tarde de domingo ela resolveu ficar na igreja mas depois bateu um frio bravo então ela me pediu para levá-la para casa.
Fiquei meio receioso pois não tinha mais ninguém para ir conosco mas fazer o que.
Falei para ela que dá igreja não podia sair com ela no meu carro pois quem visse ia falar, então ela foi a um mercado que tinha bem ao lado.
Sai com meu carro avisei que ia em casa mas desviei no caminho fiz uma volta em torno da quadra e ela já estava me esperando na esquina.

Parei meu carro e ela entrou muito rápido ninguém pode ver nem poderia pois os vidros do meu carro tem insulfilme escuro de maneira que quem está dentro vê tudo do lado de fora mas de fora para dentro nada é possível ver.
Ela não ficou muito a vontade como ficava com as amigas mas como meu carro é muito top ficou encantada com o danado.
Ela vinha puxando assunto quando resolveu ligar para seu pai e disse que ia com as amigas no McDonald's, eu comecei a rir ela desligou o smartphone.
Ela me pediu para levá-la para a casa de uma amiga eu vi a oportunidade e fiz o que meu desejo pedia.

Lacrei o carro de maneira que só apertando um botão no mini controle poderia abrir a porta, então entrei numa rua muito comprida com mato grosso de ambos os lados.
Mas eu ia levá-la à uma casa que comprei no meio do mato bem longe, não havia nenhum vizinho.
Não bastando como meu carro tem tração nas quatro rodas entrei numa rua de terra que sai atrás minha cabana.
A tirei do carro pelos cabelos e levei ela pra dentro fechei bem as portas.

 A empurrei na parede fui lambendo seu corpo que gosto gostoso ela tinha. Quando comecei a abaixar, ela segurou minhas mãos, dei um puxão nos seus cabelos e dei-lhe um tapa no rosto.
Débora abaixou suas mãos e me viu, com olhar de tarado, abaixar até o fim o zíper da sua blusinha. Usava um sutiã rosadinho com detalhes o qual eu só levantei e vi dois pequenos seios, marronzinhos, e que estavam com os biquinhos durinhos.

Me abaixei um pouco e segurei seus seios com minhas mãos. Caí de boca lambendo, depois chupando os biquinho, mordiscando os biquinhos durinhos aumentando meu tesão comecei a chupar seus seios pequenos e durinhos como um louco, mamando com tesão e desejo. Ela se contorcia, se segurava para não demonstrar que estava gostando.

Forcei um beijo na sua boca carnuda e macia, onde as cores pretas e rosas se misturavam. Meti minha língua dentro e senti por alguns segundos ela correspondendo, mas parou rapidamente.
Queria ela por completo e teria aquela gostosa de qualquer jeito Peguei sua mão e coloquei em cima da minha calça à fazendo sentir meu pau latejando. Outra vez ela tentou tirar sua mão e não resisti. Agarrei ela pelos cabelos, puxando com força e a mandei tirar meu pau para fora.

Ela me obedeceu chorando com cuidado, abaixou o zíper da minha calça e pegou no meu cacete duro. Mandei ela tirar meu pau e com delicadeza o tirou para fora da minha calça. Débora olhou meu pau por algum tempo assustada. Foi quando agarrei sua cabeça e comecei a forçar meu pau para dentro da sua boca. Débora tentou fechar a boca, mas dei um tapa e puxei seu cabelo ela abriu a boca e soquei meu pau com força.

   Ela engoliu meu pau todo babado e sugando se engasgava e engolia um pouco de saliva, mas deixava meu cacete bem molhadinho. Abocanhei seus seios mordiscando os biquinhos. Eu estava louco de tesão, Metia cada vez mais forte e fundo na sua boca, ouvindo ela engasgar. Quase perto de gozar, tirei meu pau de dentro da sua boca.

Coloquei meu pau novamente dentro da sua boca e com mais algumas metidas, comecei a gozar. Ela me olhava enquanto minha porra entrava por sua boca. A fiz engolir todo o meu gostinho.
 A puxei para ficar novamente em pé com seu vestido aberto, mostrando seus seios, a boca sem o batom e seus cabelos um pouco bagunçados. Esperei ela olhar para mim, quando me aproximei dela ela me disse que era virgem.

Fiquei doido com vontade, com o dedo do meio, acariciava sua buceta pelo tecido. Débora fechou os olhos e começou a morder seus lábios. Meti meu dedo dentro da sua calcinha e notei que estava com a xaninha bem molhadinha. Ela tentou novamente afastar minha mão com suas mãos. Mesmo não estando de pau duro, fiquei nervoso com ela.

Levantei a parte de baixo do seu vestido até a cintura, rasguei sua calcinha rosa me ajoelhei, levantei sua perna direita e coloquei no meu ombro. Sua bucetinha raspadinha estava toda empapada, Passei minha língua na Débora e se contorceu, Comecei a chupá-la com vontade, lambia seu clitóris, chupando bem no fundo sugando tudinho. Passava minhas mãos na sua bunda, dando tapas. Outras vezes apertava os biquinhos dos seus seios. Meu pau começou a ficar vivo novamente, mas continuava chupando a bucetinha daquela safada.

Agora com mais furor eu a grudei pelos cabelos virei de costas para mim, empurrei minha tora que ameaçava entrar mas escorregava para os lados, então segurei meu pau pelo tronco com a mão esquerda e empurrei com tudo ela se segurou na mesa gritou muito gostoso:
-- Áaaaaaaaahhhhhhhh...... Minhaaaa....buceetaaaaa...... louco.... aiiiiiiiihhhhh..... nhuaaaaiiiiiii.....calmaaaaaaa!
A moreninha crente gozou com as estocadas, mas eu não parei de enfiar forte, que piscava e me convidava pra uma inserção generosa e cruel. Tirei o mastro ensopado da buceta dela cuspi na porta do cu da morena forcei a entrada, mas a pica escorregou. Ela não disse nada, só se empinou mais, então apoiei os pés nas bordas do sofá, flexionei os joelhos coloquei o pau na mira, enterrando de cima pra baixo naquele Cuzão gostoso Senti seu anelzinho engolir meu pau com gosto, mastigando nossos corpos e elevando meu tesão até às nuvens. 

A morena passou a gritar e os seus xingamentos se tornavam cada vez mais vorazes, enquanto ela agarrava o encosto do sofá e eu enterrava meu mastro naquele cú com força total. Gozei cuspindo jatos intensos de porra na borrachinha enquanto minha tora monstruosa pulsava loucamente, ainda abrigada por aquele cuzinho gostoso e assim que o último pulso de porra espirrou, tirei o mastro de uma vez e fiquei olhando aquela moreninha crente safada que continuou de quatro gemendo baixinho enquanto seu cuzinho se recuperava das pirocadas vorazes que lhe rasgaram.

Coitadinha achou que porque gosei tinha acabado, quando ela olhou e viu meu pauzão ainda duro chorou, eu não perdi tempo me arrumei atrás dela e atolei com tudo no seu rabinho gostoso.
Nossa que cuzinho apertado, meu pau espremido que até doía voltei a come-la sem dó cravando toda minha trolha até o talo.
Aiiiiiiiiiiiiiiiiihhhh...... que...... Cuzinhoooooooo,
A Ergui para irmos para a cama meti bem gostoso na buceta ela só gemia.

Puxava ela pela cintura iniciando um vai e vem intenso, ela sentada no meu colo com meu pau enterrado na sua bucetinha apertada.
Uma delícia poder sentir meu caralho pulsando dentro da xotinha chorona da Débora.
Sua bocetinha estava lisinha e escorregava na minha vara nossa que tesão.
Falei que ia gosar ela rebolou bem gostoso, pra quem não queria agora estava é me estuprando com a buceta.
Ela do nada pôs as mãos nos meus ombros se jogando para trás rebolava e gritava:
-- Tomaaaaaaaaaiii..... essaaaa.... buceetaaaaa.....gostoso....do....caralhoooooo......grossoooo.......aiiiiiiiiiiiiiaiiiiii.... que.... delícia!

Falei já me segurando:. -- Calmaaaaa..... Débora.. devagarinhoooo.....agiraaaaa...eu....vou.......gosaaaaaaaaaarhhh.
Ela me repreendeu dizendo:
-- Se....nhuaiiiii... você ....gosar....nhummm...agoraaaaa..eu....vou..... áiiiiiiihhhh.....morder e arrancar seu pênis....filho......da......puta!
Sóooooo.... vai oiiii......gosar...... quando.....eu.....mandar....... quero..... Picaaaaaa....meteeeeee!
Me segurei ao máximo para satisfazer os desejos que eu havia despertado.
Deitei ela no sofá lambendo sua bocetinha e atolei toda munha rola dura na sua xoxota.

Já com um prazer descontrolado me deitei sobre a Débora devorando sua bocetinha apertada, mordiscando os biquinhos durinhos dos seus seios pequenos chupando e os beijando com desejo bem gostoso.
A safadinha não conseguia se segurar, começou a se contorcer me beijando muito trêmula eu a beijava nós gemiamos um na boca do outro.
Metia sem dó e resolvi dar ainda mais prazer para minha princesa, levei os dedos da minha mão esquerda repousando em seu clítoris o massageando.
Ela gemeu baixinho dizendo:
-- Áaaaaahhhh....seu....safadinhoooo....gostaaa....de......judiaaaa....né......áaaaaiiii.......issooo.........assimm......assimm.....apertaaaa...áaaahh........meu.... clitóris.........vaiii.......unhmmmm.

Ela me deixava cada vez mais louco de tesão, já estava quase impossível de segurar meu goso.
Meu corpo se esfregava pelo corpo dela à penetrando cada vez mais gostoso, estocar com meu pau sendo espremido e sentindo sua bocetinha deliciosa cheguei nas alturas.
Quando ela gritou:
-- Gosaaaaaaa.... meu......machoooo.... queroooo.....sua...porraaaa.......áaaahhhh...
Dei minhas estocadas gosei muito gostoso rebolando fazendo assim meu pau cutucar cada cantinho da sua bocetinha cuspindo jatos de porra bem quentinha que deixou sua boceta muito lisinha tornando mais prezeroso meter naquele xotinha apertadinha.

Permaneci metendo meu cassete na Débora bem devagarinho parei um pouquinho sobre seu corpo para descansar achei que meu pau fosse amolecer aos poucos.
Mas quando tirei para ver estava muito duro, a Débora se espantou vendo que a cabeça do pau estava roxa e duro feito pedra.
Ela me disse sussurrando em meu ouvido:
-- O que é esse pauzão? Nossaaa, ainda bem que não voltou ao normal Gostosoooo!
Respondi chupando seus seios durinhos:
-- Ele ainda quer mais buceetaaa.....e está....todo..... dolorido.
Ela me disse estar toda babada e dolorida também mas eu ainda tinha Pau para meter!

Coloquei bem gostoso devagarinho ela toda dengosinha reclamou:
-- Áaaahhhh...... tá....doendooooo....Amoooooor.. Isssoooo.....devagaaaaar....aiiiiiiiiiiiihhhh............aaaasimm.... você.....sabee....ser.....carinhosoooooo.
Vaaaiiiiiiiii...... meteeeeeeee.........bem.....gostosoooooo.
Meu pau sentiu sua boceta se contrair apertando bem gostoso.
Voltei aos seus seios pequeninos beijando, mordiscando os biquinhos durinhos dos seios mais lindos que já tinha visto.
Desci minha boca lambendo sua bucetinha e meti minha língua dentro daquela buceta gostosa fazendo ela se contorcer gemendo muito gostoso sentindo minhas chupadinhas profundas.

Coloquei meu pau na entradinha da sua bocetinha e forçando empurrei toda a minha vara, escorregou queimando a cabeça da minha jeba à engolindo todo até o talo.
A crentinha gemia muito gostoso no meu ouvido daí comecei a bombar com toda a minha força.
Meu tesão não passava estocando pau bem fundo na sua xotinha apertadinha e linda.
A sentei no meu colo com a minha vara socada bem fundo daquela xota apertadinha, ela me abraçou com suas mãos em meu pescoço.
Começou a cavalgar muito gostoso agora eu já estava com muito tesão à comendo intensamente afundei meu rosto no meio dos seus seios a fazendo gemer, ela engolia minha rola até o talo e ficava rebolando gostoso a ponto que eu mamava gemendo muito naqueles seios divinos.

Aiiiiií que delícia de garota gostosa muito apertadinha, eu dava uns tapinhas de leve no seu bumbum ela adorava, eu estava comendo uma menina de quinze aninhos e tive muito prazer em quebrar seu cabaço o que a impedia de trepar com vontade.
Agora ela já rebolava gostoso com vontade e eu já estava pronto para gosar, a cabeça do meu pau doía muito.
Todo atolado num vai e vem intenso como se fossemos dois animais no cio ela rebolava bem gostoso e eu enfiava com tudo sem dó.
Abocanhei seus seios gostosos e nem tirava o rosto dos seus seios lindo bicudinhos, abocanhava como se fosse morder uma manga sugando os biquinhos e mordendo levemente com meus dentes.

Ela não aguentando mais minha rola à fudendo gostoso e minhas carícias lhe enchendo de um prazer inexplicável, gosou se estremecendo todinha.
Eu não aguentei muito pois depois dela gosar deixou meu pau muito lisinho num prazer extremo enfiando tudo e tirando judiando gostoso daquela crentinha safadinha.
No começo se fez de inocente mais agora cavalgava melhor do que qualquer amazona!
Cheguei no meu limite sem aguentar gosei muito gostoso minha vara cuspia jatos quentinhos que aqueceram meu cassete dentro dela.

Nossa que moreninha gostosa, uma bocetinha raspadinha capaz de foder qualquer pau até deixá-lo completamente dolorido.
Caímos quase desmaiados no sofá.
Com esforço permaneci dentro da sua bocetinha sentindo meu cassete ir amolecendo voltando ao tamanho e grossura normal.
Nos beijamos bem gostoso, eu disse pra ela que se ela quisesse poderíamos ficar juntinho namorando sem ninguém saber por enquanto.
Ela meio magoadinha me disse que eu não esperei nem havia falado dos meus sentimentos.
Que eu forçei ela a quebrar o cabaço, que ainda não estava pronta.

E se os pais dela soubessem iriam morrer de vergonha, mas eu à confortei com meus beijos e pedi perdão expliquei que não aguentei vela tão gostosa assim.
Não pude resistir e estava ali para ser seu namorado que a amava muito e não queria perde-la de forma alguma e agora que já conhecia suas intimidades eu seria todo seu!
Ela me fez um carinho no meu rosto em seguida me beijou muito gostoso, disse que me amava à muito tempo atrás mas não tinha coragem nem para falar mas graças a Deus tive a coragem de tomar aquela atitude e agora eu seria seu único macho e que macho gostoso dono de uma rola saborosa.

Ficamos ali nos acariciando e conversando sobre como agiríamos daquele momento em diante, e foi espetacular ela matava aula um ou dois dias na semana e íamos à um motel para ficarmos mais a vontade e nos amamos como dois animais selvagens.
E até hoje nós nos encontramos para aproveitarmos a vida juntos ao máximo.


Reportagem especial (UOL)
Dona de Casa revela na Internet: A pílula milagrosa que curou a disfunção erétil do MARIDÃO pra sempre! Ler matéria


Leia também
meu tio tirou meu cabacinho delicia adorei há menos de 1 hora

Entramos na casa de meu tio, ele me sentou em um banco, eu quase que desmai...
laureen Incesto 3


meu pai fudeu minha bucetinha bem gostosinho há menos de 1 hora

Desde menininha eu via meu pai fudendo minha mãe e Desde menina via meu...
laureen Incesto 5


tirei o cabacinho da minha prima fogosa buceta del há menos de 1 hora

tirei o cabacinho de minha priminha gostosa Eu morava um pouco distan...
laureen Heterosexual 6


o safado gozou na minha calcinha e bucetinha,metrô há menos de 1 hora

gozou na minha calcinha e bucetinha no metrô, Meu nome é Mel ,loir...
laureen Fantasias 8


DE VOLTA À PIZZARIA - Capítulo 38 há 9 horas

DE VOLTA À PIZZARIA CAPÍTULO 38 ATENÇÃO ESSE É O TRIGÉSIMO ...
carlaomg Traição/Corno 15


Dando a bucetinha para meus sobrinhos tesão delici há 3 dias

Boa noite sou Bia e tenho 30 anos branca com cabelos escorridos e falsa ma...
laureen Incesto 164