Cara de malvado, mas é gostoso!

08 de Julho de 2014 Monica Contos Eróticos 8656

Reportagem especial (UOL)
Dona de Casa revela na Internet: A pílula milagrosa que curou a disfunção erétil do MARIDÃO pra sempre! Ler matéria


Nós trabalhávamos juntos na mesma empresa, no mesmo prédio, porém não no mesmo departamento. Por esse motivo o via de vez em quando, chegava até a encontra-lo apenas uma ou duas vezes por semana, o que já era o suficiente para rolar aquela paquerada que me deixava desconcertada e úmida lá embaixo.

Havia pouco tempo que eu comecei a trabalhar como editora naquela livraria, quando cheguei ele já estava lá no cargo de designer gráfico, alto, forte e com uma característica que me chamava atenção em particular, ele tinha uma cara de safado e uma aparência de homem bruto, que ao mesmo tempo em que me assustava, me atraia, sabe aquele tipo que você sabe que vai te pegar de jeito e de todo jeito, pois é, ele aparentava ser assim e isso além de me excitar muito, despertava minha imaginação para ver aquele homem em ação.

Assim que cheguei fomos apresentados, ele como design gráfico daria continuidade ao meu trabalho, inserindo nos livros imagens e cuidando do visual, de acordo com o tipo do documento. Por esse motivo, iríamos manter o mínimo de contato quando houvesse necessidade, na maioria das vezes o livro era encaminhado do meu setor ao dele, sem contato visual, apenas um e-mail resolvia o caso.

Isso era o que me inquietava, eu queria vê-lo, alias queria mais que isso, queria que ele me usasse e queria usa-lo também, minha vontade era saciar o meu desejo no corpo dele. Naquela tarde enquanto tomava um café na maquina de cafés expresso do corredor da empresa, acabei vendo ele em uma das salas, daquele jeito meio relaxado de se vestir e andar, porém charmoso e com certo estilo. Ele percebeu o meu olhar, e agora também me mirava, com olhos que quase me faziam ter certeza que estavam enxergando além das minhas roupas externas, mas também o meu corpo fervente pelo dele.

Depois disso tive certeza que ele também retribuía o mesmo desejo por mim, além do que imaginava que não poderia ser tão difícil marcar um encontro com ele, o garanhão do prédio já havia comido muitas funcionárias gostosinhas de lá, e as que ele ainda não havia pegada ansiavam por esse momento, e eu entrei na lista e iria trabalhar para ser a primeira dela.

Eu não sei o que acontecia com nós dois, era evidente que o desejo nos consumia, a cada vez que nos víamos era um olhar, um movimento nos lábios que denunciavam a nossa atração descomunal. Porém já havia se passado um mês e nenhum de nós dois tomava uma atitude, e essa situação estava se tornando extremamente frustrante para mim.

Até que um dia no estacionamento, quando eu estava me aproximando do meu carro vejo que ele também estava lá, iria embora no mesmo horário que eu. Fiquei observando-o até que ele se virou da posição que estava no porta-malas e me viu. Então eu pensei, essa é a hora! Fui caminhando em direção a ele e quando cheguei perto o beijei, ele me apertou contra seu peito e começou a pegar fortemente na minha bunda, eu havia comprovado minha teoria, ele era mesmo meio bruto e tinha uma pegada forte e violenta que me excitava mais ainda com suas mãos grandes e fortes que me levavam a loucura de imenso prazer ao ser tocada e comprimida por elas.

Inesperadamente ele abre a porta do seu carro e me joga dentro no banco de trás, e começamos a nos pegar lá mesmo, ele vai tirando a minha blusa enquanto eu abro o zíper da calça dele, sempre em atos violentos ele morde meu pescoço, minha barriga, minhas pernas, me aperta forte, lambe meu corpo todo, estávamos alucinados de tanto tesão, seu pau estava mais que ereto por entre a calça, estava louco para me penetrar.

De repente eu pergunto a ele por que demoramos tanto para fazer aquilo e ele me responde.

-Não sei ao certo, desde que você chegou aqui eu morro de vontade de te comer, mas tinha duvidas se você me queria mesmo.

-Anh? Como? Então minha cara de tarada ao te ver não me denunciava?

-Na verdade não, percebi que você me olhava, mas não detectava nenhum sinal que você me desejava, você me deixava sempre na dúvida, por isso não tinha coragem de chegar em você, tenho um problema com rejeições.

-Você? Gato assim, não parece.

Retomamos os amassos de onde paramos, Julio deitou seu grande corpo delicioso por cima do meu, então puxou bruscamente a minha calcinha preta de renda transparente que resaltava toda a minha buceta, tirando-a apressadamente dos meus quadris, me beijava ardentemente e velozmente enfiando e girando a língua dentro da minha boca, enquanto dava leves tapas em meu rosto.

Então foi minha vez de arrancar-lhe as calças e ao ver aquele lindo pau super ereto não resisti de tanto tesão e comecei freneticamente a chupa-lo ao mesmo tempo que fazia movimentos com as mãos de baixo para cima na extensão de seu membro, lambia a cabeça do seu pau, e também dava voltas com a língua por toda sua extensão e de vez em quando olhando com cara de safada para o rosto dele, até que ele começou a gemer mais alto e gozou muito em minha boca.

Suas pernas eram incríveis, longas e bem torneadas, eu não parava de alisa-las enquanto avaliava sua gostosura. Sem mais aguentarmos de desejo, Julio levanta meu quadril e me penetra profundo, com movimentos fortes e rápidos facilitados também pela minha boceta que estava escorrendo água de tão molhada, seus movimentos de penetração me faziam não parar de gemer e chegar a gritar de tamanho prazer que aquele homem estava naquele momento me proporcionando.

Ele então para de penetrar e começa a pegar em minhas coxas, e aproximar seus dedos dos meus lábios vaginais me deixando louca de excitação, então inicia a lamber minha buceta, sua língua fazia movimentos deliciosos em meu clitóris, deslizava por minha buceta, sugando-a para si, ao mesmo tempo em que inseria dois dedos na minha vagina exercendo movimentos de entra e sai semelhantes ao de um pênis, com tanto estimulo não aguentei e gozei muito, muito até ficar suada de tanto me contorcer.

Julio então foi subindo pelo meu corpo, enquanto dançava com a língua na minha barriga, logo alcançando meus seios rígidos que estremeceram ao toque de seus lábios e de suas mãos. Enquanto chupava meus seios ele foi me deixando novamente com muito tesão, até que enfiou fortemente seu pau em mim, segurando fixamente meus ombros enquanto enfiava com vontade seu membro latejante, gemíamos e gozávamos feito loucos, até que enfim cessamos os movimentos cansados também pelo desconforto do carro.

Começamos um caso, nos encontrávamos várias vezes por semana na minha casa ou na dele, preferimos assim, eu tinha minha vida e ele a dele com seus inúmeros outros casos, além do que era melhor para a nossa imagem na empresa, assim continuei a delirar com aquele homem másculo e bruto, me fazendo gemer loucamente e feliz por ter tomado aquela atitude no estacionamento.


Reportagem especial (UOL)
Dona de Casa revela na Internet: A pílula milagrosa que curou a disfunção erétil do MARIDÃO pra sempre! Ler matéria

Esse texto está protegido por direitos autorais.
Você não pode copiar, exibir, distribuir, executar, criar obras derivadas nem fazer uso comercial desta obra sem permissão do autor.

Leia também
A história verdadeira de Lia,seus sonhos e desejos há 2 dias

Sou Lia,18 anos e a história que começo a narrar mudou minha vida... T...
laureen Virgindade 29


Voltei mas pedi seu cuzinho virgem há 2 dias

Voltei mas pedi seu cuzinho virgem como prova de amor ...sexo delicioso,tes...
laureen Virgindade 44


Vizinho jovem safado e seu primo me fuderam há 2 dias

Vizinho jovem safado e seu primo me fuderam Leo me deixava louca, estava ...
laureen Grupal 65


fuderam a bucetinha da minha namorada há 2 dias

fuderam a bucetinha da minha namorada liberal,sexo total delicia Meus mome...
laureen Grupal 37


Mana dormiu em casa e meu marido mandou rola há 2 dias

Minha irmã safada e fogosa adoro rola atolada na sua bucetinha e cuzinho d...
laureen Grupal 75


Davi no tempo certo, fez a Fer sentir o pau duro d há 4 dias

Davi no tempo certo, fez a Fer sentir o pau duro dele, a vagabunda pirou de...
bodiar Traição/Corno 55