Indo às Compras (parte I)

24 de Agosto de 2014 Mago da Ilha Contos Eróticos 4603

Reportagem especial (UOL)
Dona de Casa revela na Internet: A pílula milagrosa que curou a disfunção erétil do MARIDÃO pra sempre! Ler matéria


Faziam alguns dias que minha esposa (Fer) insistia em irmos a uma determinada loja de esportes, para renovar o guarda-roupa para a academia. Completamente sem tempo, fui deixando para o fim de semana, coisa que detesto, já que os shoppings estão sempre lotados. Mas vou sem reclamar, afinal, é por uma ótima causa. A Fer tem um corpo muito bem definido, e agradeço sempre por ela assim o manter sempre, até sem muito esforço, eu diria. Além disso, podemos frequentar a academia juntos sempre que possível, e já fizemos bons amigos por lá.

Enfim, chegamos ao shopping, cheio como era de se esperar, e fomos para a loja. Estávamos ambos com roupas de sábado, eu de calça esportiva, camiseta e tênis, e a Fer com uma legging, camiseta longa e tênis. Parecia que íamos a academia, e não ao shopping, mas nem ligamos. Comentamos sobre isso ao chegar e ver todos vestidos para "passeio de fim de semana", e rimos da situação. Ao chegar na loja, a surpresa ainda mais desagradável: era dia de liquidação, e estava bastante confuso lá dentro.

Olhamos algumas coisas, a Fer começou a escolher as peças de vestuário para provar, ajudei um pouco, mas resolvi olhar alguns tênis. Falei para ela se precisasse de algo, me chamasse, mas parecia hipnotizada com aquelas roupas (e confesso, os preços realmente bons). Olhei os tênis, meio que sem querer nada, mas um modelo me chamou atenção. Peguei um, observei os detalhes, mas não achava ninguém para ajudar. O desconto estava interessante, mas vi que tinha outro modelo da mesma marca, com preço bem próximo e queria saber a diferença que, para mim, não era visível. Como bom homem em compras, já ia deixar de lado, quando eis que uma voz doce, quase disfarçando o cansaço, me pergunta: - precisa de algo? Ao me virar, uma deliciosa vendedora, de uns 1,60m no máximo, com um lindo rosto branco, cabelos negros e olhos azuis, e uma boca de tirar o fôlego, já estendia a mão para pegar o tênis, tirou facilmente das minhas mãos (eu nem tinha como reagir, ainda esta medindo toda aquela maravilha) e falou: - este é bom, mas este outro compensa muito mais, pois além de uma tecnologia melhor o preço dele era quase o dobro e blá blá blá...explicou mas, juro, não ouvi, só pedi pelo meu número quando ela perguntou qual era, se virou e disse que ia buscar. Acompanhei uma bunda e rebolado maravilhosos, escondidos em uma legging preta típica das lojas deste tipo, mas que toda minha imaginação pôde acompanhar. Discretamente, virei para ver se minha esposa teria visto aquilo (e o quanto brigaria comigo), mas a percebi ainda mais longe, e com várias coisas na mão. Se bem a conhecia, aquilo ia demorar.

A vendedora demorou um pouco, vi que trouxe algo para uma senhora que também aguardava, aproveitei para ir até a minha esposa e reforçar que iria provar uns tênis. Ela só soltou um "sem problemas" e continuou concentrada. Voltei para a seção de tênis, e a vendedora, me procurava. Ver aquela maravilha, na ponta dos pés, definindo ainda mais suas pernas naquela calça, me fez chegar até ela mais rápido e com a cara mais safada que poderia ter. Tentei me concentrar, pois já começava a ficar com tesão, e a roupa que eu estava não daria para disfarçar. Sentei para calçar o tênis e achei que ela iria embora, mas ao contrário, se agachou, me olhou nos olhos (que olhos lindos) e perguntou: - posso ficar escondidinha aqui (e suspirou de cansaço)! Imediatamente, respondi: - claro, deve. Ela riu, retribuí e enquanto eu ia trocando um tênis, como se fôssemos grandes amigos, ela começou a conversar banalidades, falando do movimento, etc... quando troquei de pé, já ia calçar o outro, ela falando, gesticulando, pôs a mão em cima da minha perna, e continuou falando. Sentir o toque, e aquela visão maravilhosa de seios enormes na camisa colada, uma boca deliciosa, a ereção foi imediata. Ela continuou falando como se nada acontecesse. As pessoas iam e vinham a todo momento, parecia que chegavam aos montes, e eu estava adorando aqueles rápidos instantes de excitação misturado com certa inocência. Ela, falando, me olha: - nossa, falo tanto que nem vi que já tinha terminado de calçar. Ficou bom?

Só respondi: - adorei, vou levar. Ela, instantaneamente: - ah, homens, levanta e anda um pouco! Na hora, só pensava como iria levantar, completamente de pau duro. Mas ela mesma vou se levantando e me puxou pela mão, arrisquei. No movimento de levantar, e com as pessoas e prateleiras próximas, esbarrei nada intencionalmente (mas se tivesse calculado que ela levantaria junto, seria de propósito) na sua cintura e ela me olhou fixamente, nos olhos e, imediatamente, desceu o olhar. Foi um olhar assustado, e safado. Andei normalmente como se provasse o tênis, no curto espaço que dava, e aí resolvi testar, me virando pra ela, que continuou a olhar o volume na calça, e soltou um risinho. Falei pra ela: - vou levar. Sentei e comecei a tirar, ela não falava mais uma palavra. Nem quando disse que levaria o tênis. Ela ajoelhou, como antes, e falou baixinho, em tom bem sério: - tudo isso foi por mim? Ou pelo fato que sua esposa está bem ali na frente? Ri, um sorriso sarcástico, ela me acompanhou. Mas logo levantou e disse: - já volto!

Achei que a tinha assustado, e logo passou a euforia. A vi desaparecer rapidamente. Que bom, pois a Fer logo apareceu, cheia de coisas, dizendo que ia ao provador. Quando estava indo, acompanhei-a no olhar e vi as duas quase se esbarrando. A vendedora sorriu, e ofereceu ajuda a Fer, levando-a ao provador. Fiquei intrigado, mas logo a vi sair e veio novamente em minha direção, eu já de pé com a caixa do tênis na mão, ela segurou a caixa com uma, tocando na minha, e aproximando-se e olhando rapidamente para os lados, colocou a mão em meu bolso e tirou. Fiquei sem fôlego, e novamente o tesão voltou. Ela só disse, ainda com a mão parada (segundos que pareciam eternos): - me liga, não vai se arrepender.

Claro que sim e claro que não! (pensei). Quem não ligaria, ou quem se arrependeria? Aquilo me deixou a certeza de que ela era o meu tipo, literalmente. Mordeu o lábio e piscou, e só disse: - Só pagar no caixa! - e sumiu na multidão, já indo atender outra pessoa. Fiquei ali, pasmo, mais alguns minutos, vi o número, deu tempo de guardar no celular com um nome qualquer, rasgar o papel, não sem antes de gravar bem o nome real e o número, caso algo acontecesse. Sentei para disfarçar o tesão, e ri sozinho.

Um tempo depois, a Fer saiu do provador, pagamos as peças. Ela estava toda empolgada com as compras, e mal sabia que eu também. Passeamos um pouco mais no shopping, compramos uma coisinha ou outra, e fomos embora. Mas a vendedora não saía de minha cabeça. Tinha ficado louco com aquilo, e estava com a mente a mil. Numa das lojas, a Fer resolve provar umas calças, e pude ir junto ao provador, não entrar. Mesmo sendo minha esposa e estando junto todos os dias, aquele desfile de calças seguido da pergunta "ficou boa?" foi me deixando com tesão. Uma delas marcava toda ela, coxas, bunda, e sabia que faria sucesso. Me aproximei e disse: "estou ficando louco". Ela entendeu o recado.

Pagamos tudo, e fomos para o carro. Chegando lá, estacionamento cheio, eu já fui ligar a chave, ela segurou e virou de volta, já pegando no meu pau e dizendo: - calma! - apertou e em segundos ele estava duro com aquele carinho. Ela me olhando, com uma carinha safada, só falou: - fica de olho! - botou pra fora, e começou a punhetar, e logo estava chupando. A Fer chupa muito, e muito bem, muito molhado. Parou por segundos e me olhou dizendo: - safado, ficou mesmo com muito tesão hoje, olha como ele tá pulsando forte! - mal sabia que havia começado a pulsar mais cedo. Falei para ela continuar. Punhetou mais rápido, engolia mais, respirava fundo, anunciei o gozo. Não precisava, ela afundou ainda mais na garganta, e veio tirando a boca com os jatos. Continuou chupando, até não ter mais nada a engolir. Me olhou, só deu tempo de falar meio que sem fôlego: - adoro quanto você enche minha boca assim. Vamos?

Saímos dali, fomos para casa terminar o que começamos. Mas, este sábado de compras ainda rendeu outros produtos.


Reportagem especial (UOL)
Dona de Casa revela na Internet: A pílula milagrosa que curou a disfunção erétil do MARIDÃO pra sempre! Ler matéria

Esse texto está protegido por direitos autorais.
Você não pode copiar, exibir, distribuir, executar, criar obras derivadas nem fazer uso comercial desta obra sem permissão do autor.

Leia também
Ensinando novos truques a Andreza há menos de 1 hora

Salve Salve galera! Esses dias estava lembrando das muitas fodas que dei co...
cachorrao Grupal 4


Terapia Sexual há 9 horas

Sou psiquiatra com pós no exterior e tenho digamos assim, uma clínica...
donovanbr Sadomasoquismo 46


comecei com 13 anos e não parei mais sexo gostoso há 12 horas

comecei com 13 anos e não parei mais sexo gostoso e Com 13 anos , ...
laureen Virgindade 234


A melhor ferias do ano,,no CRUZEIRO,,,tudo é novo há 1 dia

Ola galera vou começar a narrativa dos fatos da viagem do cruzeiro,,,,vou ...
bodiar Grupal 134


dei o cuzinho bem gostosinho p um amigo safado há 1 dia

Um dia estava conversando com um ‘”amigo “safado e tarado que envia ...
laureen Virgindade 309


Minhas duas filhas safadas. há 1 dia

O que passo a relatar não me deixa orgulhoso, mas não quero privar ...
donovanbr Incesto 664