Convite Inesperado - Parte 1

10 de Fevereiro de 2014 Mago da Ilha Contos Eróticos 7171

Reportagem especial (UOL)
Dona de Casa revela na Internet: A pílula milagrosa que curou a disfunção erétil do MARIDÃO pra sempre! Ler matéria


Peço desculpas pelo longo conto. Não relato experiências assim há mais de 10 anos, então, digamos que sou de "outra escola", e um pouco detalhista.

Época de verão acabo trabalhando praticamente todos os dias do mês, e não poderia ser diferente no litoral de SC quando se trabalha com turismo. Costuma ser raro passar um domingo em casa, mas consegui finalmente um fim de semana. Ao chegar em casa na sexta-feira, uma surpresa nada agradável para quem queria descansar: teríamos visita por todo o final de semana. Naquele momento, pensei em desistir da folga ou brigar, mas estava muito cansado para qualquer uma das duas coisas. Aproveitei o calor, fui para a piscina tentar esfriar a cabeça. O Whisky ajudou um pouco, e sem perceber, eram quase onze da noite. Minha esposa avisou que as visitas estavam chegando. Recebemos todos e, pela hora, já encaminhamos para os quartos: seu irmão, esposa e filho em um quarto, sua irmã e o namorado no segundo, e uma amiga de sua irmã com o namorado, em outro.

Somos casados há quase 10 anos, temos uma vida completamente normal e familiar. Minha esposa, é bastante conservadora e meu oposto em termos de fantasias, mas não acho nada ruim. Equilibramos nossa vida a dois, mas em todo o tempo de casado, já conversamos sobre outras fantasias e possibilidades envolvendo outras pessoas, conversamos até mesmo com outros casais, mas ela não quis ir adiante e não tocamos mais no assunto. Sempre entendi e respeitei, mas nunca escondi que sentia saudades de algumas aventuras de quando solteiro (a qual, um dia, devo contar por aqui).

Geralmente recebemos visitas em casa, principalmente no verão. Como ainda não temos filhos, acho ótimo ter a casa cheia, especialmente nessa época em que fica tudo muito corrido. Naquela noite, depois de todos se acomodarem, resolvi trabalhar mais um pouco. Peguei o computador, voltei para perto da piscina. Achava que todos dormiriam e poderia trabalhar tranquilamente. Mas poucos minutos depois, minha cunhada, Rafaela, se aproximou. Perguntou se poderia se sentar ali.

Rafaela é uma menina bonita e inteligente. 23 anos, tem um rosto daqueles que convencem qualquer um a fazer qualquer coisa. Seu corpo a faz todos a chamarem de "falsa magra". Não tinha como negar uma conversa, como disse, ela convence a todos, e sempre fala sorrindo. Papeamos sobre futilidades, e como todos da família sabem, o papo inevitável foi sobre o trabalho, e acabamos falando sobre o escritório novo, quando ela me diz: "ah, queria conhecer, a Fer (minha esposa) sempre fala que ficou muito bonito". Como ela está cursando arquitetura, achei que seria até bom uma opinião e combinamos para o dia seguinte. Nos despedimos e fomos dormir, pois já eram quase duas da manhã.

Acordei cedo, pois tinha compromisso logo pela manhã. Falei para minha esposa que a irmã queria ir no escritório, ela achou ótimo e disse que ia ver o que os demais iam fazer. Ela foi preparar o café, e tomei banho e saí rápido para trabalhar, mas já no corredor esbarrei com a Rafa e o namorado. Ela já me disse: vamos com você. Falei para tomarem café e pegarem o meu carro, e poderiam ir depois, pois ficariam mais livres, e eles entenderam. "Fiquem vocês e seus amigos com o carro, e seu irmão pode ficar com o carro de minha esposa, vim ontem com um dos carros da empresa, então não tem problema".

Fui para o escritório e resolvi os primeiros compromissos do dia. Logo ouvi na antessala várias vozes, já imaginei que seriam eles. Me avisaram de sua chegada, fui atendê-los e mostrar o escritório. Passadas as formalidades, e distraído como sou, em determinado momento o namorado dela falou: "acho bom irmos, senão não pegamos um bom lugar na praia". Concordei de imediato, mas aquela palavra me atentou para o fato de que estavam todos vestido para a praia, e instintivamente olhei para as meninas, e percebi que a amiga da minha cunhada tinha um corpo que poderia se chamar de indecente. Aliás, ela e o namorado pareciam de academia. Baixinha, possuía coxas trabalhadas que me deixaram na hora de queixo caído, e quase olhei demais para aquele corpo atlético. Desviei o olhar e tentei me controlar, afinal a irmã de minha esposa estava ali, não queria confusão (e muito menos apanhar do namorado dela, também bastante forte). Nos despedimos todos, e achei que teria um dia normal de trabalho. Mal saíram, e minha secretária me olha e diz: "você viu?". Apesar de estarmos trabalhando somente há 3 meses juntos, como passamos muito tempo no escritório conversamos de tudo. Além disso, ela é meu braço direito, e sabe boa parte de minha vida pessoal. Sabia o que significava o você viu. Ela descreveu com detalhes os rapazes e as meninas, detalhes que eu não havia percebido. Aquilo me desconcentrou o resto do dia.

Tentei me concentrar no trabalho, mas a imagem daquela menina de corpinho sarado não me saía da cabeça. Fui interrompido pela ligação de minha esposa, avisando que todos tinham voltado, se eu não queria fazer algo com eles. Na hora, só pensei o que eu queria fazer com aquela garota, cheguei a gaguejar no telefone e concordar que faríamos um churrasco na piscina, e que eu providenciaria tudo. Ela falou que eles já tinham comprado cerveja, e que estava tudo certo, e convidou a minha secretária para ir junto, aliás, bastante comum aos fins de semana, já que como eu disse, essa época estamos sempre trabalhando. Como não tinha mais compromisso no escritório, avisei a ela e fomos. Já no caminho, ela me diz: "ah, estou louca pra ver os meninos na piscina!" Rimos, e ela completou: "quero ver você disfarçar olhando praquela guria, vai apanhar da mulher em casa!!!" Rimos novamente, mas ela tinha razão. Tinha de me controlar.

Chegamos em casa, e vi que o carro do meu cunhado não estava na garagem. Achei estranho, e ao subir logo soube o que aconteceu: estavam todos bebericando, e a mulher dele (como sempre faz) teve uma crise de ciúmes, e foram todos embora. Isso piorou ainda mais minha situação, entendi o recado, e decidi que me controlaria, antes que fosse o próximo a ser expulso de casa.

O clima de velório pela briga logo passou: além da cerveja ajudar, a Juliana (minha secretária) é daquelas que faz todo mundo rir, a toda hora. Não teve jeito, juntando com a simpatia da Rafa, estávamos todos bem de novo. Com o calor, pulamos todos na água: eu e a Fer (minha esposa), a Rafa e o Caio (seu namorado) e a Ana (a baixinha) e o Renato, e a Juliana.

Com todos dentro da piscina, desviava os olhares quando podia, mas uma hora ou outra, com a bebida e comida, alguém sempre saía da piscina. Saí para pegar mais cerveja no freezer cozinha e trazer para a despensa e comecei a ver quais as mais geladas, quando daqui a pouco entra na cozinha a Rafa. Com o sorriso ainda mais aberto, e só de biquíni, perguntou se eu queria ajuda. Falei que não precisava, mas ela já foi se aproximando, e pegando uma caixa dentro do freezer, se abaixando e falando que as primeiras que eles trouxeram estavam mais embaixo. Quando ela subiu na minha frente, praticamente roçou o corpo todo em mim. De sunga foi inevitável ficar excitado e em segundos já fui virando para disfarçar: estava de pau duro logo para minha cunhada! Ela olhou pra mim, riu e disse: "safado". Saiu rindo da cozinha. Fiquei envergonhado, excitado e pensei: mais uma pra me complicar a cabeça. Me virei e vi a Juliana rindo no canto da sala, de pé, me olhando. Fui até ela e perguntei o que era: "vim atender ao celular, mas percebi o que tua cunhadinha está fazendo, já tinha visto que ela te olhava de manhã, mas agora tenho certeza!" Falei que aquilo era bobagem, e ela completou: "e vi você animadinho!". Rimos, voltamos para a piscina.

Rimos, nos divertimos, comemos e, bebemos. Todos mais soltos, as meninas de papos e risos de um lado, os rapazes me contando de como havia sido a praia, mulherada de santa catarina, a hora foi passando e a Juliana disse que iria embora, tinha combinado de sair com as amigas. Sob protesto de todos, ela foi tomar banho e se trocar, minha esposa a acompanhou. Foi quando a Rafa comentou, baixinho: "a Fer é bem doida de deixar essa menina trabalhando com você né?" Realmente, a Juliana é bem bonita, 19 anos super extrovertida, e chama atenção. Mas é competente e nunca havia rolado nada, apesar de nossa cumplicidade, e confesso que não pretendia, pois há muito não tinha uma funcionária dedicada. Desdenhei do comentário, mas ela ainda completou: "você viu a cara do Renato quando ela saía da piscina?" Realmente, o Renato não conseguia disfarçar. Acho que, pela experiência, para mim foi mais fácil não olhar para a namorada dele o dia todo, mas ele, com seus 20 e poucos anos e todo corpulento, não conseguia disfarçar. Estávamos todos já conversando sentados ao redor da piscina, quando a Juliana volta, já arrumada, com um vestido de deixar qualquer um de queixo caído, e foi a gota d'água: o Renato deu aquela olhada masculina que chega a se tocar, literalmente, e eu e a Rafa sentados na borda do outro lado de frente pra eles, rimos. Aquela cumplicidade foi gostosa e sacana. A Juliana se despediu de todos com beijinhos, e falou pra mim que a Fer tinha ido dormir um pouco, que não falou antes pra não acabar a festa. Entendi, e vi que o perigo só aumentava. Combinamos de no domingo repetir a piscina, e ela foi. Mal a Juliana saiu, ouvimos só a Ana dizer para o namorado: "E agora, vai parar de babar?". Saiu, e foi tomar banho, com bastante raiva, o Renato fez aquela cara de inocente, mas eu mesmo já o segurei: "fica aí, relaxa, deixa ela esfriar a cabeça". A Rafa foi lá falar com a amiga. Concordamos, e ficamos ali de papo, naquele clima. Pulamos de novo pra dentro da piscina, mais cerveja, e a essa altura, já tomando whisky, a mulherada nos quartos, o papo voltou para a Juliana, com os dois querendo saber "qual era a dela" e se eu havia pego. Expliquei, novamente, que era uma ótima profissional, e muito amiga nossa, então não misturávamos, e ficou naquele papo de homem sobre mulher, até que a Rafa voltou e falou pro Renato ir, que ela já estava mais calma. Ela já entrou na piscina e brincou com o Caio: "eu também vi você olhando pra ela". Só que ela falou isso não apenas rindo, mas encostando nele pra beijar e dando aquele amasso. Agradeci por estar dentro da piscina, pois o tesão voltou com tudo. Fingi não estar ali, e fiquei observando de canto de olho aquele amasso. Percebi o quanto eram safados, e acho que esqueceram de mim. Aquilo me deixou louco, mas, respirei fundo, me controlei e saí de mansinho. Entrei no quarto com um tesão louco, a esposa dormindo, nem pensei duas vezes: acordei-a já de pau duro, encoxando-a, ela entendeu o recado: "hmmmm tá animadinho, é?" já virou e me chupou. Estava com tanto tesão que achei que iria gozar em segundos, mas me controlei, e transamos loucamente.

Aliviado fomos tomar banho, e voltamos para a cama. Ela foi até a cozinha, mas disse que todos haviam ido dormir, e voltou para o quarto. Adormecemos, mas acordei pouco mais de uma da manhã com um barulho, tenho o sono leve. Fui ver, e chegando na sala vi a porta que dava para a piscina entreaberta e a luz acesa, e a Ana sentada à beira da piscina. Cheguei mais perto, perguntei se estava tudo bem e ela "sim, deu tudo certo, sei acalmar ele bem direitinho" e deu um sorriso safado. Ri, e como já estava ali mesmo, resolvi arriscar: "posso imaginar..."

Ela olhou pra mim e perguntou porque eu estava acordado, falei que tenho o sono leve e ela continuou: "ah, achei que tava animadinho lá no quarto também". Ri e tentei não responder, mas ela completou: "homem é safado, gosta de olhar pra depois descontar na parceira.  o Renato me pegou e só faltou me chamar de Juliana, cachorro!" Falou com raiva e tesão, aproveitei: "é mesmo? corajoso ele..." Rimos, e ela perguntou porque. Falei que minha mulher era muito ciumenta, e mesmo só por fantasia, ela ficaria chateada, e não conseguiria aproveitar como ela tinha aproveitado o tesão do Renato pela Juliana. Rimos, e o papo foi para a sacanagem, claro. Falamos de nossas fantasias, das realizadas e as não realizadas, do que gostamos e percebemos que se o papo continuasse, a sacanagem ia rolar mesmo. Não queria complicar em casa, minha esposa havia ido dormir cedo, e pensei no risco, mas aí não teve jeito, o convite foi claro e direto: "você me falou que gosta de assistir, né? me acha gostosa? quer me ver fudendo com o Renato?" Ela foi direta, e a resposta mais ainda: "agora?". A resposta foi imediata, ela olhou pra mim, levantou e foi para o quarto, deixando a porta entreaberta. Entendi o recado, e segui para um lugar que conseguiria ver o que precisava.

Ela estava com um shortinho leve e uma blusinha, e já subiu de 4 na cama. Olhou pra trás, parou antes de tocar o namorado, como se esperasse uma ordem, um consentimento. Apenas balancei a cabeça, e ela seguiu, tirou o lençol, e ele já estava sem roupa. Ela começou a chupá-lo, e achei que não acordaria. Mas ela sabia o que fazia, e em poucos minutos, vi que ela já se preparava para sentar. Não conseguia ver mais do que aquele bunda deliciosa, costas trabalhadas, rebolando freneticamente, num ritmo cada vez mais rápido, até que vi o namorado segurando sua cintura, como se quisesse controlar. Ela, parecia indomável, e continuou até que o vi tremer as pernas. Ainda a vi sair, de cima, lamber o pau do namorado. Ela olhou para onde eu estava, mas não me achou. Para ver melhor, troquei de posição. Ela rapidamente procurou, fez uma cara de quem não entendeu. Saí dali, e fui repetir a dose com a esposa, que só perguntou: "nossa, que fogo todo é esse hoje? precisa tirar mais folga assim!"

Mal sabia ela do que aconteceu naquele dia, mal sabia o que o domingo tinha nos reservado.


Reportagem especial (UOL)
Dona de Casa revela na Internet: A pílula milagrosa que curou a disfunção erétil do MARIDÃO pra sempre! Ler matéria

Esse texto está protegido por direitos autorais.
Cópia, distribuição e execução são autorizadas desde que citados os créditos.

Leia também
A história verdadeira de Lia,seus sonhos e desejos há 1 dia

Sou Lia,18 anos e a história que começo a narrar mudou minha vida... T...
laureen Virgindade 20


Voltei mas pedi seu cuzinho virgem há 1 dia

Voltei mas pedi seu cuzinho virgem como prova de amor ...sexo delicioso,tes...
laureen Virgindade 30


Vizinho jovem safado e seu primo me fuderam há 1 dia

Vizinho jovem safado e seu primo me fuderam Leo me deixava louca, estava ...
laureen Grupal 44


fuderam a bucetinha da minha namorada há 1 dia

fuderam a bucetinha da minha namorada liberal,sexo total delicia Meus mome...
laureen Grupal 24


Mana dormiu em casa e meu marido mandou rola há 1 dia

Minha irmã safada e fogosa adoro rola atolada na sua bucetinha e cuzinho d...
laureen Grupal 50


Davi no tempo certo, fez a Fer sentir o pau duro d há 2 dias

Davi no tempo certo, fez a Fer sentir o pau duro dele, a vagabunda pirou de...
bodiar Traição/Corno 42