A Ninfa.

05 de Março de 2014 Renning Contos Eróticos 6918

Reportagem especial (UOL)
Dona de Casa revela na Internet: A pílula milagrosa que curou a disfunção erétil do MARIDÃO pra sempre! Ler matéria


Eu acho incrível como os mais jovens de hoje em dia tem uma iniciação rápida ao que é sexo. Talvez seja graças a tecnologia, sei lá. Não é como se eu fosse velho ou tivesse demorado pra acontecer comigo, não. Sendo que na minha época, isso não era tão constante. Me chamo Junior e faz 4 anos que estou em um relacionamento sério. E 3 justos anos que "sofro" com as insinuações da minha cunhada. Na maioria das vezes, sinto raiva, pensando que merda ela tem na cabeça pra fazer o que faz, mas vez ou outra, inevitavelmente me imagino cedendo ao que ela evidentemente deseja. Embora ainda seja jovem, tem um corpo delicioso, sem hipocrisia pra falar. Pernas grossas, peitinhos durinhos e uma bunda totalmente empinada, com uma curvatura maldosa de tão perfeita. E sempre que estou lá na casa dela, que a irmã dá uma brecha pra ir fazer alguma coisa, me deparo com algum tipo de insinuação - vestido curto só de calcinha, sem se preocupar se eu ia olhar, short curto subindo, abaixar na minha frente e ficar, literalmente, de quatro com o rabo balançando virado pra mim, dançar funk, rebolando até o chão, sem música alguma, e até subir as escadas enrolada só na toalha mostrando toda a perna e deixando escapar até um pouco da bunda ela já fez, e isso olhando pra minha cara. Como já estou há algum tempo na família, há determinadas coisas que não se importam de falar comigo e/ou na minha frente, como o último motivo dela ter ficado de castigo - andava acessando sites pornôs. Isso em uma família só de mulheres.

E esse conto trata da primeira - e espero que a ultima - vez que cedi aos desejos dela. Ela se chama Carla, e fora os atributos os quais já passei a cerca dela, ela é um pouco baixa, cabelos longos e lisos, castanhos, até a cintura, pele clara e uma cara de safada inegável. Na noite anterior eu havia ido visitar minha namorada, onde mora com a mãe e duas irmãs, uma delas sendo a Carla. No caminho, havia notado que o tempo não estava muito bom, mas como já tinha prometido a visita e estávamos a dois dias sem nos vermos, fui do mesmo jeito. Chegando lá namoramos um pouco, fizemos algumas 'brincadeirinhas' na varanda e, no justo momento em que disse que era melhor ir embora, o céu desabou em uma chuva torrencial sem fim. Conclusão, ela pediu que eu dormisse lá, e como no dia seguinte eu não trabalharia, concordei. O que acontece é que ela trabalha e sai cedo e, pra completar, minha sogra tinha consulta marcada pra outra irmã da minha namorada, que possui problemas mentais, justo no dia seguinte. Havia ido dormir tarde por 'aproveitar' o tempo com a minha namorada e quando ela estava saindo, a levei até a porta, avisei que voltaria a dormir mais um pouco e iria embora depois. Ela disse que não tinha problemas e foi embora. Minha sogra e minha outra cunhada também já não se encontravam mais. Eu havia dormido só de bermuda, sem camisa. E despreocupado devido a hora, fui assim mesmo levar minha namorada até a porta. Costumo me cuidar e, portanto, posso dizer que tenho um corpo bonito. Definido e um tanto musculoso. Estava voltando pro quarto quando dei de cara com Carla - e naquele momento eu apertava meu próprio pênis, que estava um tanto quanto enrigecido pelo efeito matinal. Ela viu e riu, soltando logo em seguida; " - Que isso ein. " mordendo os lábios. Fiquei sem graça, não respondi nada e fui deitar. Fiquei um tanto quanto pilhado com aquilo, só então havia notado a situação - eu, naquela casa sozinho com aquela garota ninfa. Os amassos com a minha namorada na noite anterior não haviam passado disso. Eu estava num tesão horrível e acredito que, graças a isso, aquela situação não me fez ficar com raiva como de costume, e sim excitado. Em todo caso eu não tinha intenção nenhuma de fazer qualquer coisa. No fim das contas acabei adormecendo...

Acordei totalmente embriagado pelo sono algum tempo depois, havia esquecido completamente onde estava, devido ao sono. O que me acordou, na verdade, foi o fato de ter alguém deitado comigo chupando meu pênis. Totalmente distraído, acreditei a principio que fosse minha namorada, esquecendo que ela havia ido trabalhar. A pessoa, em questão, estava embaixo do lençol e, ao olhar, só vi o movimento da cabeça em degustação da minha pica. Pus a mão e forcei que engolisse um pouco mais, até que me toquei, num susto, que aquela pessoa poderia não ser minha namorada. Puxei o lençol rapidamente e meu medo foi confirmado - Carla estava me mamando sabe-se lá à quanto tempo. E não parou mesmo após eu revelá-la. Empurrei sua cabeça e me levantei num pulo, olhando ao redor em preocupação. " - Tu tá maluca garota?! " Falei, baixo, temendo que alguém pudesse ouvir. " - Que foi, não estava bom? " Não soube o que responder e, por um segundo, me perdi em devaneio sobre aquilo - estava ótimo. " - Porra, tá maluca? Se tua mãe pega a gente porra? Tu é retardada? " Falei alguns segundos depois, tentando parecer irritado e não nervoso. " - Minha mãe ligou e disse que vai demorar por que o hospital tá com falta de médico, quando é assim ela sai de manhã e só chega lá pro meio da tarde... " Fiquei sem palavras, de novo. " - Eu tô vendo que você gostou, por que não continuamos? " Ela disse, apontando pro meu pau que ainda estava rígido feito uma pedra. " - Não! Tá maluca! Cadê minhas roupas? " Falei, tentando sair daquela, mesmo com vontade de ficar. Me virei procurando minha bermuda, até que ela saltou da cama e me agarrou por trás, segurando minha pica e roçando os peitos em minhas costas. " - Por favor cunhadinho, só hoje... " Segurava meu pau com aquelas mãos macias, me punhetando levemente. Meu pênis me entregava, ficando cada vez mais rígido. " - Me solta garota. " Disse, mas ao contrário disso, ela passou pra frente de mim, ajoelhando-se e engolindo meu pênis numa abocanhada só.

Eu estava perdido, honestamente não queria sair daquilo. Estava num tesão terrível e ela já vinha montando aquele campo minado a bastante tempo. Onde eu pisasse tinha bomba, não dava pra escapar. Falei mais algumas vezes pra ela parar, que aquilo era errado, mas convenhamos que se eu realmente quisesse que ela parasse, tinha a tirado a força. E o boquete que ela fazia era magnifico. Sentia meu pau escorregar por sua saliva em direção a sua garganta enquanto ela tocava meu saco com a ponta da língua, definitivamente havia aprendido bastante com os vídeos pornôs que via na internet, e aquela garganta profunda parecia ter nascido pra me pagar um boquete. Não resisti e segurei em sua cabeça enquanto sentia sua língua deslisando ao longo da minha tora, lambendo levemente o prepúcio e se envolvendo na glande de meu pênis. Aquela garota parecia uma profissional, embora nunca tivesse tido relações com ninguém - até onde se sabia. Lambia meu saco e chupava minhas bolas sem pudor nenhum, e isso tudo enquanto gemia e dizia o quanto meu pau era gostoso e o quanto ela havia sonhado com aquilo. Enquanto brincava com meu pênis, ela ainda se masturbava, o que me deixava com mais tesão ainda. E raiva ao mesmo tempo. Que vadia! - pensei por várias vezes. Meu corpo já estava quente e não ia demorar muito até que eu gozasse. E concluí que se era pra ser, então seria de um modo que eu me arrependeria o mínimo.

Segurei em seus cabelos e comecei a bombar em sua boca. Ela me olhou com olhos de êxtase e submissão, aumentando ainda mais meu tesão. Colocava a língua pra fora e ficava mexendo, pra lamber o máximo do meu pau enquanto eu movimentava minha cintura socando em sua boca. Vez ou outra meu pau saia graças ao movimento e esfregava em seu rosto, mas ela logo tratava de engolí-lo de novo, sedenta. Senti as contrações no meu pênis anunciando que eu gozaria, ela me olhava com aquele mesmo olhar. Fechei os olhos e continuei bombando, tentando prender o máximo que podia o orgasmo, pra explodir tudo de uma só vez. Até que foi - duas ou três jatadas diretas na garganta dela, as demais caindo no rosto e peitos após ela engasgar. Engasgou sério, de tossir meu gozo fora e chegar a lacrimejar por ficar sem ar. Cai sentado na cama enquanto ela se recuperava no chão, não falei nada. " - Você gozou demais. " Ela disse, um pouco ainda sem ar, após algum tempo. Continuei quieto, estava com um sentimento de 'lição dada' e fiquei só observando.  " - Isso prova que você adorou não é? " Disse depois, me surpreendendo. Não havia se arrependido, estava é satisfeita com o resultado. Olhou pra mim rindo com aquela boca suja ainda de gozo - uma visão assombrosamente excitante - e disse que queria mais. Estupefato, fiquei sem ação e sem palavras enquanto a via se levantar, forçar que eu me deitasse e sentasse em cima de mim. Eu estava excitado ainda, mas pelo fato de ter acabado de gozar, meu pênis não estava totalmente rígido. Mas sem ligar, ela sentou-se sobre ele e começou a  roçar sua buceta, rebolando enquanto se apoiava com as mãos no meu peito, me arranhando. Sentia aquela buceta quente babando em meu pênis e não conseguia mais ser racional. Deve ser o sonho de qualquer cara pegar uma ninfeta, ainda mais uma gostosa dessas.

" - Seu gozo é delicioso, mas agora quero ele dentro de mim. " Dizia, me provocando. " - Quero que você enfie na frente e atrás tudo bem? Será que você consegue? " Prosseguia. Eu fechava os olhos e tentava imaginar que aquilo não estava acontecendo, mas não dava. Aos poucos a rigidez me foi voltando, chamando a atenção dela para o que ela chamou de 'monstro crescendo embaixo dela'. Todas aquelas frases e provocações pareciam ser fonte de estudo pra excitar um cara, ou ela estava só repetindo todas as falas dos vários vídeos pornôs que viu. De qualquer forma, estava adiantando. Meu pau voltava a crescer, ainda maior que antes. Ela rebolou e rebolou em cima do meu cacete, dizendo o quanto ele era grande, maravilhoso e que ela não podia esperar pra sentí-lo dentro dela. Até que se ergueu um pouco, segurando em meu pau, e o direcionou pra sua buceta, abaixando-se logo em seguida. Não entrou. E ela então disse; " - Eu quero que seja você... Eu quero que você tire minha virgindade... " E aquilo me assustou ainda mais, mas antes que eu pudesse fazer alguma coisa, senti a vagina dela escorregando até o talo de meu pau - a merda já havia sido feita. Aquela vagina totalmente apertada e quente parecia sugar o meu pau. Seus gemidos agora não eram só de prazer, mas também de dor. " - Parece que vai me rasgar, é muito grosso. Ai... " Dizia, deixando evidente em sua cara o quanto estava dolorido. Eu estava atônito, não conseguia fazer nada. Ao passo que aquilo era surreal, também era excitante, toda aquela cara de dor e aquela buceta maravilhosa sugando meu pênis. Até que ela começou a rebolar em movimentos leves, acostumando a própria xana à grossura do meu pau. E tentou erguer-se um pouco, conseguindo, ia aumentando a altura que quicava e o ritmo no qual o fazia. Em segundos já quicava como uma vadia no meu pau, literalmente gritando de prazer. Seus peitinhos pulavam no mesmo ritmo enquanto ela soltava mais de suas frases esdrúxulas; " - Parece que vai rasgar meu útero, seu pau é gigante.. Vai, vai, me rasga, me rasga... Mas não pode goza ai dentro, ai não... " Mantinha os olhos completamente fechados enquanto quicava como uma prostituta em cima do meu caralho. Eu realmente não queria me arriscar a gozar em sua buceta, não estava tão insano a esse ponto. Mas também não queria acabar com aquilo ali agora, então a deixei. Sua buceta já estava tão molhada que enxarcava os pelos da minha púbis. Resolvi intervir, não parar, mas apenas mudar para algo com menos risco de dar merda.

" - Então ok vadiazinha, onde você quer que seu cunhado enfie mais o pênis? " A levantei a joguei na cama, me pondo por cima dela. " - Ah, isso. Enfia no meu cu, por favor cunhadinho. " Me surpreendi, mas agora que ela tinha dado a ideia, não sairia dali sem antes encher aquele cu de porra. Sai e mandei que ela se levantasse e ficasse na minha frente, de costas, abrindo a bunda pra mim enquanto apoiava o corpo na estante. Assim ela o fez, se empinando ainda. Aquele cuzinho completamente rosado, também molhado por toda a baba que escorria de sua vagina faminta, era convidativo. Me masturbei um pouco e mexi naquele cuzinho, arrancando gemidos da minha cunhada. Abri ainda mais o rabo dela com as minhas próprias mãos, permitindo que eu enxergasse um pouco mais a fundo. Meti a cara no meio da bunda dela e lambi as suas pregas, lambuzando todo seu ânus. Ela gemia feito uma cadela, mandando que eu enfiasse a língua ainda mais fundo e eu, inebriado por toda aquela situação, assim o fazia, ao passo em que enfiava os dedos em sua buceta. Parei de lamber seu cu e puxei o seu suco vaginal, esfregando em sua próprio cu, enfiando em seguida um dedo. Estava usando sua própria lubrificação pra facilitar o que eu viria a fazer. Me ergui e, segurando-a pelo cabelo, bruscamente a pus de quatro sobre a cama. Por mais que eu fosse bruto no sentido de 'castigo', mais ela entrava no jogo, adorando tudo aquilo. Pus a cabeça do meu pau na entrada do seu cu, pincelando. Forcei a primeira vez, ouvindo enquanto ela implorava pra ser enrabada. Não entrou e eu sabia que não ia ser assim tão fácil. Dei algumas bombadas em sua buceta, lambuzando meu pau totalmente e voltei a tentar. Ela rebolou quando sentiu que eu empurrava e, pouco-a-pouco, senti as pregas do seu cu cedendo a invasão da minha rola. Até que foi, a glande escorregou pra dentro, arrancando dela um grito sério de dor. " - Relaxa, relaxa. Já já passa. " Menti, tentando reconfortar, mas tava pouco me fodendo, queria mais é que ela sentisse dor mesmo.

Fui escorregando minha pica devagar, também não tinha a intenção de fazê-la parar no hospital. Ela curvou a coluna devido a dor, prendia a respiração e os gemidos, evidentemente, era só de dor. Enfiei até o talo e parei por alguns segundos, estasiado. Fiquei passando a mão em suas costas, fazendo-a voltar a se empinar, fui subindo a mão e puxei seu cabelo. " - E ai, tá gostoso? " Perguntei, irônico. " - Tá doendo. " Ela respondeu, completando logo em seguida; " - Mas não quero que tire, só espera um pouco. " Não tinha mesmo a intensão. Até que a vi tirar uma das mãos e levar a própria buceta, começando a se masturbar e consequentemente voltando a gemer. A tinhosidade pro sexo daquela menina estava me surpreendedo, deveria ser alguma gênia da orgia. Resolvi começar a bombar, de início, devagar. Ela suspirava e gemia ao mesmo tempo, enquanto eu deslizava meu tronco pra dentro de sua bunda. Seu interior parecia envolver toda minha pica calorosamente, enquanto está invadia formando seu próprio caminho pelo intestino da menina. Fui aumentando o ritmo ela foi aumentando os gemidos. Continuava se masturbando e estava tão molhada, que meu saco molhava toda vez que batia na sua buceta graças as estocadas. A segurei pela cintura firmemente com as duas mãos e comecei a bombar depressa em sua cu. Ver ela por trás estava me dando nervoso, só gemia e eu, por algum motivo, precisava ver sua cara. Sem falar nada, retirei meu pau e a virei bruscamente, arreganhando suas pernas e voltando a mirar seu ânus. Ela me encarava com uma cara de êxtase e, mais uma vez, submissão. Era minha capacha e faria tudo que eu quisesse. Enfiei até o talo de uma só vez e ela gemeu alto, agarrando o edredom. " - Me fode, me fode, vai, me fode. " Começou a sussurar pra si mesma. Voltei direto do ritmo que tinha parado, estocadas rápidas e fortes que a faziam subir até o meio da caminho. Seu cu parecia já ter se adaptado ao tamanho da minha rola e ela parecia que nem sentia mais dor, deixava transparecer somente uma vez ou outra, mas sempre pedindo mais.

" - Vou gozar, vou gozar. " Começou a dizer enquanto era fodida por mim pelo ânus e se masturbava. Sua voz foi ficando cada vez mais fina e aquilo ia me trazendo ao meu ápice, também estava prestes a gozar. Ela o fez primeiro que eu, soltando um longo grito de satisfação. Segundos após, eu tive meu orgasmo. A sentir que começaria a esporrar, tentei tirar meu pênis de seu cu, mas ainda acabei gozando um pouco lá dentro, e o restante das jatadas acabaram voando pra cima dela, caindo um pouco em seu peito e parte em sua barriga. Fiz de propósito, confesso. Ela se derreteu de prazer na cama apertando os próprios mamilos e se contorcendo. " - Isso foi maravilhoso cunhadinho, tenho inveja da minha irmã. " Eu não podia deixar de concordar, fazia tempo que eu não dava uma foda daquelas. Os longos anos de namoro já tinha esfriado parte do meu relacionamento com a irmã dela. Bateu o peso na consciência junto ao medo assim que me sentei na cama e busquei minha bermuda. Que merda eu fiz? Enquanto eu me questionava, ela só ria, ainda deitada na cama e lambendo a porra que tinha jorrado sobre ela. Não disse nada, me arrumei e sai. Os primeiros dias eu ainda estava meio neurótico com toda a situação, mas ela agiu como se nada tivesse acontecido. Eu não tive coragem alguma de contar, muito menos tinha intensão de fazê-lo. O estranho é que depois disso, as coisas entre eu e minha namorada voltaram a pegar fogo - inevitalvemente, sempre que a comia, lembrava das putarias de sua irmã, as quais eu pedi que ela repetisse e ela aceitava, sem desconfiar de nada.


Reportagem especial (UOL)
Dona de Casa revela na Internet: A pílula milagrosa que curou a disfunção erétil do MARIDÃO pra sempre! Ler matéria

Esse texto está protegido por direitos autorais.
Você não pode copiar, exibir, distribuir, executar, criar obras derivadas nem fazer uso comercial desta obra sem permissão do autor.

Leia também
Ola galera sou bodiar, como ja tenho comentado min há 1 hora

Ola galera, é pequeno o conto mas quero relatar,,,,,,perto do meu deposito...
bodiar Traição/Corno 5


Eu e a Fer,,,,,,vizinho Davi vôlei no campinho are há 1 hora

Ola galera sou bodiar, como ja tenho comentado minha esposa não larga do m...
bodiar Exibicionismo 4


FER! Meu pau não saciou SEU TESÃO!,,,Ofereci outro há 1 hora

Ola galera quero dar continuidade no dia em que tiramos para comemorar o di...
bodiar Traição/Corno 5


buceta deliciosa da minha tia há 15 dias

Minha tia é uma mulher de 39 anos, uma coroa muito enxuta, toda trabalhada...
laureen Incesto 47


quando fui comer um cuzinho apareceu uma bucetinha há 16 dias

quando fui comer um cuzinho apareceu uma bucetinha tb demais sexo gostoso r...
laureen Grupal 87


Fodendo Gostoso com o Veterinário da nossa Fazenda há 16 dias

"Fui tomar um banho antes que faltasse luz, eu estava em um misto de apr...
dammasafada Aventura 75