Narceja UPP e os Policiais

09 de Maio de 2014 Narceja Contos Eróticos 6623

Reportagem especial (UOL)
Dona de Casa revela na Internet: A pílula milagrosa que curou a disfunção erétil do MARIDÃO pra sempre! Ler matéria


Por NARCEJA®

Eu nem sei como isso tudo começou em minha vida. Lembro dos tempos da adolescência onde inicie minha vida sexual com colegas de classe. Namoricos do ensino fundamental fizeram parte minha fomação sexual.
Vim de uma família humilde do interior da Bahia.

Órfã de pai e mãe, fui criada por meus irmãos mais velhos. Sempre sendo jogada de casa em casa, vivendo com meus primos meninos, inicie a vida no sexo muito cedo...Uma idade politicamente incorreta para ser narrada aqui. Prefiro me concentrar nos policiais.

Tudo começou semanas depois de haver completado 21 anos. Estava cercada de amigas quando uma viatura da Rota passou por nós buzinando numa clara demonstração de admiração. Eu estava de shortinho jeans curtinho e uma camisetinha que revelava a brisa fria que caia naquela tarde na rigidez dos bicos dos meus seios.
Por um instante, a viatura parou na esquina e 4 policiais sairam de lá. Foi então que minha história se iniciou.

Fiquei ali os observando juntamente com as amigas. A farda viril revelava um certo respeito e medopor eles. Algo que me excitou logo de cara. A arma em punho, o colete, o brasão da polícia militar me amoleceu por inteira. Havia algo ali naqueles homens que me atraía de uma maneira hipnótica.
Naquele mundinho em que viva, aqueles homens eram as autoridades que precisava. E assim emergi de dentro de meus orifícios para esta incontrolável obsessão por homens fardados.

Naquele dia cheguei em casa diferente. Algo havia mudado dentro de mim. E naquele olhar perdido, minha irmã perguntou se havia encontrado emprego. A resposta era a mesma.- Não, claro que não...Quem daria emprego a uma menina sem qualquer formação? Nem o ensino médio havia terminado. O que me restava era certamente a cozinha de alguma casa, um bêbado como marido e uma monte de filhos barrigudos para criar...Como poderia fugir desse destino taxativo?
Dias depois saía da casa de uma amiga a tardinha e indo a pé para casa avistei o barzinho do seu Adalto da esquina.

E lá estavam eles na viatura estacionada mesmo em frente ao bar. Conversavam entre si, certamente alguma confusão daquele bar. Decerto, seriam os preços que já eram o próprio ladrão do bairro. Não era à toa que chamavam o proprietário de Seu Assalto...

O que importa era que eu passaria ali na frente deles desfilando meu shortinho e mostrando a polpa de minha bundinha morena canela. Seios durinhos que se apresentavam em um decote revelador. Uma chinelinha de dedos e uma moldura capilar digna de parar o trânsito. Apressei os passos e requebrei o quadril rebolando e balançando o cabelo pisei na tal calçada mágica.
- Boa tarde. Disse um deles enquanto desviava a atenção para mim.
- Boa tarde! – Arrisquei timidamente.
E passei rebolando deixando todos me devorando com o olhar perdido...
Foi quando ouvi um comentário que me invocou uma mulher liberta de normas e tradições impostas.
- Essa eu comia! Disse um deles.
Parei por um momento e pensei em voltar...Lembrei-me do Seu Assalto, que vez por outra, trocava o apelido por Seu Fofoqueiro e continuei andando até a esquina oposta ao bar. E lá fiquei esperando um olhar perdido daqueles homens.
O que aconteceu sem demora. Sorri alegremente.

E determinada a não perder tal chance, o chamei com os dedinhos dizendo : - Vem cá!
Um deles tomou coragem e veio em minha direção.O mais forte deles. Um homem robusto e cheio de armamentos se aproximando de mim e me deixando completamente molhada e desatinada do juízo.
- Oi tudo bem..Disse se aproximando.
- Bem, faz tempo que reparava em vocês ali...
- Mesmo?! Surpreendeu-se.- Reparando na polícia? Olha que eu te prendo heim. – Brincou.

- Eu iria adorar ser presa por vocês. Precisava ser clarapara que não houvessem dúvidas da legitimidade de meus desejos
- Não seja por isso! Podemos te prender já! Edmilson vem aqui. – Chamou um dos colegas de farda. O seu tom de voz me embriagou a vulva de tesão.
Não tive medo nesse momento, pelo contrário, a situação me excitava extremamente a ponto de enrijecer os bicos de meus seios.

O amigo se aproximando sorriu e perguntou o que o outro estava aprontando:
- Encontrei uma bandida que quer ser presa pela polícia.
- Está falando sério? Alegrou-se o amigo.
- Qual seu nome?
- Narceja, moro aqui pertinho.
- Sou o Edmilson e ele o Nogueira. A seu serviço. Precisa de carona para casa? Perguntou um deles.

Era a deixa para fugir desse meu destino imposto pela vida. A resposta me salvaria de mim mesma . Respirei fundo e respondi: - Sim, eu quero!
Nogueira pediu a Edmilson para pegar o carro. E logo estava ali na esquina de portas abertas para mim e eu planejando abrir as pernas para eles.
Não pude deixar de me sentir protegida ali por aqueles homens da lei. No fundo, queria sentir-me dentro daquela autoridade toda, queria sentir-me útil para a sociedade de alguma forma e acreditei nessa alucinação ignorante e dei-me para aqueles homens fardados e visívelmente excitados.
Nos dirigimos a um lugarzinho próximo. Perto de um campo de futebol do bairro mesmo. Os Políciais me mimavam como uma menina... Educados e admirados com minha coragem, logo chegamos ao local. Descemos do veículo e entramos no meio do mato, perto de uma árvore frutífera.

O local estava desabitado e estava escurecendo. Mas não senti medo, me dei ali para aqueles homens me penetrarem com suas vigas de aço e tirei a roupa liberando meus seios e xotinha. Ficando nua para aqueles poderosos da lei.
- Vem fazer um boquete para se acalmar vem. Disse Edmilson expondo aquela tora militar.
- Tem duas aqui para você se saciar. Falou Nogueira mostrando sua ferramenta.
Me vi ali entre a cruz e a espada e me dei ao luxo de não escolher. Me ajoelhei sentindo a dureza da terra e peguei as duas rolas com as mãos e aproximei-as da minha boca : - Quero as duas! Tal era minha fome de homem.
Extremeci tendo um orgamos involuntário ao por aqueles dois pênis na boca de uma só vez. Desenhei com a língua esses dois falos grandes e mamei um pouco um e depois o outro, alternando as mamadas. Me deliciando com o cheiro daquelas rolas autoritárias e vivenciando uma emoção singular de virilidade masculina.
Segura, chupei com força arrancando gemidos e comentários obscenos do tipo : - Vou te dar uma surra de rola!
- Como mama essa danada! Gosta de fardados heim?!
Pareciam ter consciência que estava ali, não por serem unicamente homens, mas por serem políciais. Eles represantavam a autoridade que nunca tivera em minha vida. Está ali chupando os caras me enaltecia como pessoa.

Enlouquecida de tesão, comecei a gemer alto enquanto chupava e batia as rolas em minha cara me sentindo uma prostituta de rua e querendo sentir que eles me desejavam, pedi submissamente . E com a expressão mais vulgar desde mundo, soltei as rolas e me abaixei mostrando meu corpo e expondo minha xana falei : - Fode aqui!

Nogueira pulou em cima de mim com a piroca dura e penetrou ardorosamente me fazendo gritar e gemer alto....Edmilson se colocou ao lado esperando o amigo terminar e reclamou ao ver que Nogueira socava egoistamente dentro de mim:
- Minha vez cara, deixa eu terminar logo com isso. Saí daí. E tirou o amigo puxando-o pelos ombros e se posicionando entre minhas pernas meteu fundo arrancando-me um orgamos que fiz questão de demonstrar.
- Safada! Já gozou??

Ter esses orgamos duas vezes e ainda sertir-me penetrada era estar no paraíso e aguentei firme aquelas estocadas fundas e precisas enquanto vi o outro se masturbar olhando a cena. Os dois ali, com as calças caídas até os joelhos e eu naquela posição, sendo devorada por dois homens, me sentia uma rainha glorificada por suas pirocas de machos.

Como era bom sentir-me fêmea e pronta para satisfazer homens dos mais variados tamanhos....Era bom sentir que minhas entranhas serviam para alguma coisa e estava ali prestando um serviço àqueles políciais em troca de uma proteção ilusória.
Vi quando ele enfiou forte parando lá no fundinho e anunciou o gozo tirando o pau rapidamente de minha vulva arrombada e se posicionando ao lado do amigo, gozou segurando meus cabelos para não errar a mira em meu rosto. E logo vendo a cena digna de um filme pornô, gozou o outro também da mesma forma. Abri a boca e expus a língua para fora, arrancando risos e comentários dos políciais :
- Olha como ela gosta de ganhar leite...Constatou.

- Está cheio de putinha assim....Essa aqui vai ser nossa vagabundinha particular... Afirmou Nogueira.

E fui mesmo. Depois desse dia passei a mamar vários políciais do bairro. Todos me conheciam pelo boquete e logo passei a ser a primeira dama do bairro. A notícia se espalhou rápido e passei a frequentar festinhas particulares com vários políciais, apenas pelo prazer de ser mulher, livre de normas impostas pela sociedade e pelos “hipócritalóides” de plantão e solta nesse mundo, virei Narceja Fudeção.
Enfim, teria um lugar nessa sociedade inópita.

- Viva!

Site : http://narcejacontos.wix.com/narceja
Blog : http://narceja.blogspot.com.br/
Email : [email protected]
Facebook : https://www.facebook.com/narceja.contos
Twitter : https://twitter.com/Narceja
Todos os direitos reservados. Proibida sua reprodução total ou parcial, bem como sua cessão a terceiros, desta obra sem a autorização da autora, segundo versa a Lei nº 9.610/1998. Violar os direitos do autor constitui crime e está sujeito as penalidades de acordo o art. 184 do Código Penal Brasileiro.


Reportagem especial (UOL)
Dona de Casa revela na Internet: A pílula milagrosa que curou a disfunção erétil do MARIDÃO pra sempre! Ler matéria

Esse texto está protegido por direitos autorais.
Você não pode copiar, exibir, distribuir, executar, criar obras derivadas nem fazer uso comercial desta obra sem permissão do autor.

Leia também
DE VOLTA À PIZZARIA - Capítulo 39 há 5 horas

DE VOLTA À PIZZARIA CAPÍTULO 39 ATENÇÃO ESSE É O TRIGÉSIMO ...
carlaomg Traição/Corno 9


Meu Professor, Meu Macho Gostoso! há 8 horas

Meu nome é Songeun, Sonji para os amigos. Agora eu tenho 19 anos. O que vo...
songeun Aventura 27


ESPOSA CONFESSA QUE SE ENGRAVIDOU DO AMANTE há 17 horas

Uma amiga minha encontrou o site de pintos Mórmon e queria que eu visse so...
tigreraiado Traição/Corno 34


Depois de casada fui amante de papai delicia,bucet há 23 horas

Quando esse fato aconteceu fazia pouco tempo que tinha casado, ainda estáv...
laureen Incesto 56


meu tio arregaçou minha bucetinha virgem há 2 dias

Jà desconfiava de titio há muito tempo sempre que vinha em casa não tir...
laureen Incesto 152


ARROMBADA NA INTERATIVIDADE - DELICIA DE MORENO há 3 dias

Estava muito ansiosa aquela noite. Eu e meu namorado estávamos indo para...
lsanchesb Aventura 94