Social

26 de Maio de 2014 Dama de Ferro Contos Eróticos 3880

Reportagem especial (UOL)
Dona de Casa revela na Internet: A pílula milagrosa que curou a disfunção erétil do MARIDÃO pra sempre! Ler matéria


Sou Jacqueline. Tenho 18 anos, cabelos claros, olhos verdes, magra e alternativa. EM TODOS OS SENTIDOS. Sou bissexual, porém me atraio mais por mulheres. Atualmente, estou em uma universidade cursando Biologia.
Tinha tudo para ser uma garota tranqüila, já que minha família é bem tradicional, até mesmo nos costumes. Mas, não calhei de ser. Como sou nova na universidade, não conheço muitas pessoas; e algumas que eu conheço, não tem a mente tão aberta quanto eu. E se tivessem, não ia adiantar de muita coisa, já que não sou assumida sexualmente e acho que isso não é da conta de ninguém.
Pois bem. Um belo dia, recebi um convite de uma menina qual tenho contato na universidade para ir a uma social que teria na casa de uma menina da sala dela. Com certeza, aceitei. Chegando lá, fui recebida pela dona da casa e por uma galera bem simpática. No meio dessa galera, estava Sergio: um garoto de 18 anos, cabelos castanhos, olhos pretos, magro, cursava Letras na mesma universidade que eu e bissexual (preferência a homens). No momento, fiquei feliz em saber que não era a única do público gay presente (risos).
Sergio é MUITO simpático e carismático. Mesmo eu estando acanhada conversando com minhas duas amigas em um canto, acho que ele percebeu a quantidade de bebidas que eu pegava e me chamou para dançar. Aceitei. Nossa, ri muito! Já estava mega bêbada e tudo arrancava um riso meu. Enquanto estávamos dançando, conversamos coisas banais porém interessantes para o momento. Sergio não imaginava minha sexualidade, mas eu, de fato, já sabia a dele. Como somos “iguais” de certa forma, disse a ele minha condição. Ele ficou surpreso e disse que não imaginava. Depois disso é que conversamos mais ainda, porém, assuntos mais pessoais.
No decorrer da noite, por volta das 21 horas, minhas amigas se despediram de mim e foram embora. Eu não queria ir aquela hora. Poxa, em pleno sábado?! Por favor. Como Sergio também não foi, continuei lá. A social estava bem cheia ainda. Conversa vai, conversa vem, eu já estava bem animada e confundindo facilmente côncavo com convexo. Não demorou muito, percebi que Sergio estava sensualizando demais nas suas danças comigo. Quis até pensar que era engano, já que eu estava alterada, mas não era. Apesar da minha preferência por mulheres, reconheço que sou BI, mesmo que poucos homens me atraiam. E Sergio, aquela noite, de uma forma um tanto quanto intrigante, estava conseguindo. Não consigo entender exatamente o que havia nele para aquilo estar acontecendo, já que eu estava começando a desacreditar da minha bissexualidade há muito tempo. Ele é MUITO bonito, mas isso não faz dele um Porto dos Milagres e muito menos a Cura Gay.
Em um certo momento, tocou “Til the world ends – Britney Spears”. Eu estava totalmente domada pela música, já que a curtia bastante e também era bem antiga e me trazia uma certa “nostalgia”. Enquanto eu dançava, ele me olhava. Olhava fixamente para meus movimentos, principalmente para meu quadril. Como eu estava bêbada àquela altura, estava gostando de vê-lo me olhar e dançava cada vez mais sensualizando. Não demorou muito e ele se aproximou me dando um beijo.
***
Um beijo bom. Sincronizado, já que estávamos na mesma vibe. Ele estava com as mãos na minha cintura e, enquanto me beijava, me puxava para ele. Depois, paramos de nos beijar e ele desceu sua boca até meu pescoço, beijando lentamente. Eu o segurava pelos cabelos. Ele subiu até minha boca novamente e voltamos a nos beijar. Quando paramos realmente (depois de alguns minutos), ficamos nos olhando um pouco “atordoados”, meio que surpresos com nossa desenvoltura. Ele, ainda com as mãos na minha cintura, me conduziu até a parede. Como o local estava escuro, tinha que ter cautela pra não tropeçar em nada. Chegando na parede, nos beijamos de novo. Dessa vez, com MAIS vontade e MAIS tesão. Como faz tempo que não fico com homens, sentir seu pênis era um tanto quanto incômodo, mas não estava me importando com isso e sim com o momento.
Paramos. Ele perguntou se eu queria usar o quarto da dona da casa, já que tinha um que ela havia liberado (vazio, sem cama, sem nada). Aceitei, não me veio outra resposta além dessa. Então ele me deu a mão e fomos até lá. A porta do quarto trancava por dentro, então a fechamos. Estava muito escuro, mas nele havia uma janela a qual iluminava um pouco. Continuamos a nos beijar e enquanto isso eu tinha a sensação de formar uma cachoeira na minha calcinha. Ele me virou contra a parede, tirou meus cabelos do ombro direito e começou a chupar meu pescoço, com as mãos em minha cintura e me encochando. Eu estava MUITO excitada. E ele, idem.
Ele levantava a minha blusa e passava as mãos por minha barriga, era uma mistura de nervoso com prazer. Depois, ele passou as mãos nas minhas coxas e a mão direita na minha vagina, por cima da calça. Fechei os olhos. Ele perguntou se podia abrir minha calça e eu disse que sim. Ele abriu, passou a mão pela minha calcinha e depois, por dentro. Procurou meu clitóris e começou a me masturbar. Eu não gemia muito alto, apenas respirava ofegante. Não queria fazer barulho a ponto da galera toda da social ouvir. Ele também não gemia tão alto. Enquanto ele me masturbava, eu passava a mão em seu pênis por cima de sua calça. Tirei a mão dele de dentro da minha calça, me virei para ele e abri sua calça. Ele botou seu pênis para fora e eu dei uma conferida. Tava difícil acreditar que depois de TANTO tempo sem ter contato com pênis, lá estava eu mega a fim de deixar aquela dama de paus excitada. (hahahaha)
Voltei a ficar contra a parede e ele colocou a mão por dentro da minha calça novamente. Estávamos nos masturbando intensamente e em sincronia. Depois de 25 mins, cheguei ao orgasmo. Ele estava quase lá. Assim que cheguei ao orgasmo ele me desvirou e levantou a minha blusa. Meu sutiã abria na frente, então ele o abriu e começou a chupar meus seios. Enquanto ele fazia isso, eu o masturbava e com a outra mão segurava sua cabeça contra meus seios. Depois de uns 8 mins, mais ou menos, ele quem chegou ao orgasmo. Virou para o lado e jorrou seu esperma no chão do quarto.
Foi MUITO bom. Nada muito hard, mas muito gostoso. Como estávamos numa social, tinha certas coisas que não permiti que ele fizesse devido ao meu nervoso, como fazer sexo oral, por exemplo. Estava de calça, daria trabalho naquele quarto escuro ter que colocar de novo e blábláblá. Sem contar que ele estava sem camisinha, então não era pra ser mesmo. Quem sabe em outra oportunidade. rs


Reportagem especial (UOL)
Dona de Casa revela na Internet: A pílula milagrosa que curou a disfunção erétil do MARIDÃO pra sempre! Ler matéria

Esse texto está protegido por direitos autorais.
Você não pode copiar, exibir, distribuir, executar, criar obras derivadas nem fazer uso comercial desta obra sem permissão do autor.

Leia também
DIA NAMORADOS,VIAGEM, UMA FANTASIA DA FER,E MUITO há 6 horas

DIA NAMORADOS,VIAGEM, UMA FANTASIA DA FER,E MUITO EXIBICIONISMO,,,,CADA VEZ...
bodiar Exibicionismo 12


Eu tinha 13 aninhos e todos me fuderam no colégio há 6 dias

Eu tinha 13 aninhos e todos me fuderam no colégio Eu estudava numa escola...
laureen Virgindade 364


Perdendo a virgindade com a titia delicia buceta m há 6 dias

Perdendo a virgindade com a titia Paul, 18 anos,vou contar como perdi a...
laureen Virgindade 114


o pai da minha amiga comeu minha bucetinha gostoso há 6 dias

Aos 19 anos, após entrar na faculdade, conheci Karen, minha amiga que já ...
laureen Heterosexual 235


EU E A FER,,,,NOSSA COPA SÓ COMEÇOU,,,NOVOS AMIGOS há 6 dias

EU E A FER,,,,NOSSA COPA SÓ COMEÇOU,,,NOVOS AMIGOS,,,COMEÇO DE UMA NOVA ...
bodiar Traição/Corno 98


dando a bucetinha no trem sexo tesão há 6 dias

somos um casal normal, tarados por sexo e exibicionismo, essa ocorreu em ...
laureen Fantasias 177