Ninfetinhas Em Dobro Parte I

05 de Junho de 2014 EMILIO SANCHEZ Contos Eróticos 2968

Reportagem especial (UOL)
Dona de Casa revela na Internet: A pílula milagrosa que curou a disfunção erétil do MARIDÃO pra sempre! Ler matéria


"passando a minha língua áspera abocanhando deliciosamente sua xota"

Eu enjoado de todos os ocorridos daquela trama policial que estava assistindo,sem emoção,sem paixão,naquele romance mela mela,sem nada de especial por estar vendo aquele filme,nada demais pude notar novamente sobre aquela situação de sempre como vi em  quase todos os filmes de romance  que pude ver.

Liguei para Verônica e Juliana por segurança mesmo,chamei-as para bater um papo ou mesmo encontrá-las para dar uma saída de costume,para que pudesse rolar alguma coisa,afinal estava numa seca a 7 anos.

Nessa época,já se passava dos meus 27 anos,sem nada a mais de emoção para poder contar,afinal eram tantos não que recebi,tinha até desistido de ficar com as moças da minha cidade,não por incapacidade,mas sim por não ter que enfrentar a realidade coisa já tão costumeira em meu viver.

Era o tempo em que tango,lambada e forró eram mais gracejados pela sociedade.A verdade é que como eu gostava de estudar muito,tive que deixar de lado,relacionamentos,amor,paixão e principalmente sexo,coisa já não tão volúvel em minha cabeça naquele ocorrido.

Verônica era uma moça super simpática,possuía 25 anos,tinha a veracidade de sempre,amor,compreensão,sentimento,delicadeza e outros valores que todo homem ficaria doido com ela.Cabelo de cachinhos,peitos médios,bumbum arrebitado porém pequeno,gostava de utilizar roupas mais comportadas,mas com muitas cores vivas,sabia se dar seu valor,e amava tudo que fazia.

Juliana por sua vez,tinha 26 anos,gostava de mentir algumas vezes para impressionar,seus ficantes,ou até mesmo seus namorados,afinal,era gostosa demais,bunda meramente grande,seios fofos e gostosos de serem chupados,era mais séria,nervosa,e quando estava de TPM ninguém a aguentava;gostava de ousar utilizando roupas provocantes sempre.

O comum das duas,eram que elas bastante minhas amigas,o resto suas personalidades eram bastante distintas.

Quando chegaram na minha casa,eu lhe as cumprimentei como de costume,dei um beijo no rosto de cada uma,e começamos a contar todas as histórias vividas juntos,que ocorreu no colégio,os encontros e desencontros que sempre ocorreram,relatávamos de forma tão verídica que esquecemos que também sabíamos mentir algumas partes,para um ficar com o ciúme do outro,e assim prosseguir a noite.

Já se passava da madrugada,ambas não tinham o que fazer em casa,além é claro de dormir;desde então,começaram a me provocar de uma maneira que eu não soube conduzir de uma forma mais interessante,e....deixei por levar sendo abduzido por elas haha!

Verônica começou a alisar o meu saco de repente,e Juliana numa espécie de competição começou a alisar meu bumbum freneticamente,e eu adorando tudo aquilo,esperando o ponto certo de atacá-las.

Aos poucos,comecei a me soltar,a me mexer,a dançar,e mesmo assim elas acompanharam meu ritmo,só que no troca troca,Juliana chupava carinhosamente minhas bolas e poucos minutos depois,já estava fazendo um boquete como sempre fazia,quando tinha aquelas vontades incontroláveis de satisfazer seu namorado ou ficante,Verônica me beijava com todas as suas forças existentes como louca mais safadinha como de costume,não sabia quem era a mais safada naquele momento,pois,ambas estavam fazendo um papel fundamental para um sexo sem compromisso de grandes amigas que eram.

Satisfeito,comecei atacar Juliana,enquanto Verônica novamente voltaste a chupar minhas bolas,levantei a blusinha verde que a Ju estava utilizando naquele momento e comecei a chupar teus seios,mas do que fofos,era uma atração sem limites,fazendo ela gozar pela primeira vez.Verônica,não se contentou e  começou um longo e delicioso boquete,até maior do que feito pela Juliana,fazendo gozar pela segunda vez.

Comecei a deslizar minha boca entre as pernas de Verônica,passando a minha língua áspera abocanhando deliciosamente sua xota,passando desde então repetidas vezes,até gozar,por mais  que Vê gemia baixinho,por dentro era pura inundação,fazendo ser percebida através do seu gozo,Ju por sua vez,dava tapas em meu bumbum,como quem dissesse:E eu como fico?

A disputa das duas era hilária,mas gostosa,não sabia como me satisfazer,e eu retribuir as duas da mesma forma,pois,tudo estava intenso,e nem sempre uma se contentava em ser a espécie de segunda mulher para ser "amada",mas,de toda a forma estava sendo válida,um sexo que ninguém programou,pois,o que excitava era o espontâneo.

Peguei meu mastro e comecei  a satisfazer a Vê,nessa eventualidade não sabia dos gostos quanto o assunto era sexo,pois,nunca tinha transado com ela,apenas a Ju que eu sabia; o interessante que a certinha não reclamava e nem elogiava,estava como uma boneca pronta pra ser absolvida dos desejos que a união de um casal se transforma.

Afinal ,nesses delongos 10 min por mais que tive que massageá-la e prepará-la,fiz ela gozar gostoso,enquanto Ju ficou chupando bico ficando alisando sua própria buceta,enquanto esperava sua vez de me "pegar".

Quando chegou a sua vez,como forma de desculpa,pediu pra que eu fizesse um longo carinho nos teus seios e massageasse seu grelo como forma de disputa para Vê;diante disso,fiz o que ela pediu,e aos poucos,pude colocar meu querido instrumento na xoxota dela fazendo gemer alto pois,a frequência que Ju gostava era rápida,enquanto Vê por trás de mim alisava,apertava e beliscava meu bumbum.

Passava das 2 horas da madrugada,e aquela transa,não acabaria tão cedo,pensei,nessa hora massageei  os dois bumbuns para que não houvesse nenhuma disputa,de quem teve mais carinho,mais amor,coisa boba das mulheres,a tal possessão de dizer "aquele homem é meu" e assim por diante,já que estavam de quatro,aproveitei a oportunidade e pedi pra que ambas continuassem da mesma forma. Peguei Vê  e meti gostosinho,enquanto eu alisava a bunda macia,lisinha sem nenhuma espinha de Ju,de um jeito que ela também gozasse.

Ocorreu a vez  da Ju,meti com mais força do que cujo ocorreu com a Vê,alisando-a infinitamente,fazendo gozar ambas pela última vez aquela noite.

Ambas satisfeitas e eu também,tomamos banho,para recomeçar novamente a brincadeira,pois a noite era uma criança e aquilo que fazíamos deveria ser continuado até o sol raiar....


Reportagem especial (UOL)
Dona de Casa revela na Internet: A pílula milagrosa que curou a disfunção erétil do MARIDÃO pra sempre! Ler matéria

Esse texto está protegido por direitos autorais.
Você não pode copiar, exibir, distribuir, executar, criar obras derivadas nem fazer uso comercial desta obra sem permissão do autor.

Leia também
ESPOSA CONFESSA QUE SE ENGRAVIDOU DO AMANTE há 5 horas

Uma amiga minha encontrou o site de pintos Mórmon e queria que eu visse so...
tigreraiado Traição/Corno 16


Depois de casada fui amante de papai delicia,bucet há 12 horas

Quando esse fato aconteceu fazia pouco tempo que tinha casado, ainda estáv...
laureen Incesto 30


meu tio arregaçou minha bucetinha virgem há 2 dias

Jà desconfiava de titio há muito tempo sempre que vinha em casa não tir...
laureen Incesto 124


ARROMBADA NA INTERATIVIDADE - DELICIA DE MORENO há 3 dias

Estava muito ansiosa aquela noite. Eu e meu namorado estávamos indo para...
lsanchesb Aventura 85


meu tio tirou meu cabacinho delicia adorei há 3 dias

Entramos na casa de meu tio, ele me sentou em um banco, eu quase que desmai...
laureen Incesto 139


meu pai fudeu minha bucetinha bem gostosinho há 3 dias

Desde menininha eu via meu pai fudendo minha mãe e Desde menina via meu...
laureen Incesto 161