Cunhadinha. Conto 02 Salvador-Ba 1999

10 de Junho de 2014 Luiz Passos Contos Eróticos 3217

Reportagem especial (UOL)
Dona de Casa revela na Internet: A pílula milagrosa que curou a disfunção erétil do MARIDÃO pra sempre! Ler matéria


Cunhadinha. Conto 02 Salvador-Ba 1999



Os contos são verídicos,
alguns nomes das pessoas envolvidas serão modificados.



Esse fato ocorreu quando eu tinha 41 anos.



Era um final da tarde de um sábado quando cheguei à casa de praia da
família de minha esposa na época.



Isso começou há 20 anos antes, na época era uma ninfetinha,Cunhadinha.
Conto 01 Salvador-Ba 1979,
se tornou uma mulher linda, dotada de um corpo escultural,
narizinho arrebitado, sorriso encantador e muito sensual, ela sabe que é
gostosa e vive provocando, mas o que eu não podia imaginar era que um dia ela
pudesse cair na minha, já que estava casada á muitos anos e o marido tinha se
tornado meu amigo e essa condição era mais um complicador para nosso
relacionamento, eu estava disposto em me contentar apenas em cobiçar aquela
gostosura de mulher, mas o destino me foi supercamarada, abriu o caminho quando
fui passar um final de semana na casa de praia do pai dela, era um final da
tarde de uma sábado quando encontrei Sinha sozinha vestida com um minúsculo
biquíni, que não cobria quase nada, soube por ela que todos tinham ido a um
aniversario, só deveriam chegar no início da noite.



Decididamente, os astros estavam do meu lado,
conversamos animadamente falando sobre a nossa época de solteiros, e tocamos no
assunto de nosso flerte, foi a deixa, eu estava decidido a incendiar aquele
vulcão de mulher, e comecei a relembrar os detalhes.



Ela foi ao banheiro, tomou um banho e voltou
vestindo um camisão, sem sutiã, deixando a mostra um pouco da calcinha, demos
continuidade ao papo, havia no ar um clima de muito tesão, eu não queria forçar
a barra para não pôr tudo a perder, depois de muitas piadas, percebi que ela
não cederia tão fácil como imaginei, mas a sorte parece que brinca com a gente,
quando tem de rolar alguma coisa, não precisamos forçar a barra, porque tudo
acontece, fui para um dos quartos trocar de roupa.



Voltei à sala vestindo apenas um calção
de pijama de seda, sentei no sofá ela veio sentar ao meu lado, voltamos a
conversar sobre sexo, dei corda, só de sacanagem, perguntou-me se senti
saudades do que fizemos, respondi que sim, mais poderíamos ter feito mais, ela
então disse que poderia fazer mais por mim, disse, com um sorriso malicioso nos
lábios, arrisquei todas as minhas fichas e respondi,



- Quem sabe, você pode fazer mesmo...



Ela sorriu, se levantou foi até a porta da
rua e passou a chave, deixando claro que estava a fim de alguma coisa comigo, ao
voltar ao sofá, disse a ela, decidido,



- Solte os cabelos e tire o camisão bem
devagar,



Ela deixou os cabelos longos caírem
sobre os ombros e foi retirando o camisão, como estava sem sutiã, fiquei me
deliciando as curvas deliciosas dos seus seios, passei a mão no meu cacete, que
já começava a armar a barraca, minha vontade era me levantar e agarrá-la, mas
resolvi jogar seu jogo um pouco mais.



- Tire a calcinha que eu quero ver um
pouco mais,



Puxei-a pela mão para mais perto de mim,
ela desceu a calcinha lentamente, fazendo aparecer aos poucos a sua xoxota, a
esta altura, ela estava completamente envolvida na brincadeira erótica e
mergulhada num verdadeiro tesão, ela deitou-se no sofá, acomodou a cabeça em
cima de minha coxa, próxima do meu cacete, oferecendo sua bundinha arrebitada,
dei-lhe uma palmada, ela gemeu baixinho e disse.



- Serei toda sua para o que você
quiser...



Antes que dissesse mais alguma coisa, comecei
a beijar, desci a minha língua pelos peitos e só parei na xoxota, comecei a chupar,
quando parei, ela reclamou e exigiu que eu continuasse, ela acabou gozando, seu
corpo estremeceu todo e caiu relaxado no meu colo.



Levei-a para um dos quartos e tão logo
ela se deitou de bruços na cama, aproveitei para libertar meu pau, que estava
quase explodindo, atirei-me por cima dela, passei a beijar as costas, mordi a
pele macia e acariciei as nádegas, o rego, até chegar à xoxotinha,
completamente ensopada, excitadíssima, Sinha se virou e me puxou para cima dela,
ela tocou meus lábios com os seus e esticou a mão para ajeitar o cacete na
entrada da xota, dizendo que queria me fazer gozar bem gostoso para retribuir o
prazer que eu a havia feito sentir, parecia que eu estava no paraíso, me
apertava e gritava toda vez que minha pica batia fundo na sua buceta, fiz com
que ela gozasse duas vezes antes de derramar minha porra quente em seu útero, ela
escapou de mim e veio me chupar, para recolher o leite que ainda restava nele,
terminada a tarefa, virou o rosto para mim e disse que tinha uma história para
contar, contou que quando estava transando com o marido, pensava em mim batendo
com a pica em seu rosto, sentia uma puta excitação.



Tomamos um banho e voltamos para a cama,
como ela estava disposta a retomar a farra, pedi-lhe que pegasse um creme
qualquer e passasse em meu cacete, que iria meter no cuzinho, ela caprichou na
lubrificação, assim que a coisa pegou fogo, meti em sua bundinha, ela gemia e
olhava para trás, tentando ver a pica que invadia seu rabinho, ela gemia,
suava, esperneava de tesão, iniciei um vaivém cadenciado que nos levou a um
gozo simultâneo, enchi o cuzinho de gala, que logo começou a escorrer pelas
pernas, ela tombou para o lado, exausta, e nos adormecemos, só nos despertamos
quando ouvimos o barulho do carro do pai dela, eles não perceberam nada.



Nessa mesma noite ainda trepei a buceta
da esposa, uma metidinha básica, para não bater desconfiança.



O problema foi à tortura por que
passamos depois, quando a gente se limitou apenas à troca discreta de olhares,
o tesão era grande, o desejo era o de foder o dia inteiro, mas com a companhia
dos pais, vários amigos e minha esposa...



Na noite do dia seguinte, logo depois do
jantar, ela veio conversar comigo, aparentemente conformada,



- Vamos repetir a dose quando voltarmos
a Salvador?



- Claro que sim. Só se você não
quiser...



- Só que eu não vou aguentar esperar.



Ela parecia uma gata no cio, Sinha e eu
continuamos saindo às escondidas durante vários meses, nosso relacionamento foi
interrompido quando ficou grávida do marido. 





Skype: luiz.passos5 


Reportagem especial (UOL)
Dona de Casa revela na Internet: A pílula milagrosa que curou a disfunção erétil do MARIDÃO pra sempre! Ler matéria


Leia também
A história verdadeira de Lia,seus sonhos e desejos há 2 dias

Sou Lia,18 anos e a história que começo a narrar mudou minha vida... T...
laureen Virgindade 29


Voltei mas pedi seu cuzinho virgem há 2 dias

Voltei mas pedi seu cuzinho virgem como prova de amor ...sexo delicioso,tes...
laureen Virgindade 44


Vizinho jovem safado e seu primo me fuderam há 2 dias

Vizinho jovem safado e seu primo me fuderam Leo me deixava louca, estava ...
laureen Grupal 65


fuderam a bucetinha da minha namorada há 2 dias

fuderam a bucetinha da minha namorada liberal,sexo total delicia Meus mome...
laureen Grupal 37


Mana dormiu em casa e meu marido mandou rola há 2 dias

Minha irmã safada e fogosa adoro rola atolada na sua bucetinha e cuzinho d...
laureen Grupal 75


Davi no tempo certo, fez a Fer sentir o pau duro d há 4 dias

Davi no tempo certo, fez a Fer sentir o pau duro dele, a vagabunda pirou de...
bodiar Traição/Corno 55