Conhecendo Jana

03 de Junho de 2018 LSanches Hetero 224

Reportagem especial (UOL)
Dona de Casa revela na Internet: A pílula milagrosa que curou a disfunção erétil do MARIDÃO pra sempre! Ler matéria


Desde que comecei a trocar mensagem com Jana, seria a primeira vez que nos encontraríamos. Eu fui pega-la na rodoviária e ficaríamos juntos naquela tarde.
Desde que começamos a trocar mensagem, um tesão fantástico e mutuo se formou. E mesmo sem nos conhecer pessoalmente já fazíamos planos para quando nos encontrassemos.
Assim que a encontrei minha reação foi de tesão total. Ela estava com um vestidinho que valorizava suas curvas, seus seios fartos e pernas lindas. Trocamos um beijo carinhoso mas recatado, pois haviam muitas pessoas em volta e fomos para o carro.
Dentro do carro no estacionamento da rodoviária, ela me deu um beijo daqueles de excitar o cara mais frio que possa existir. Aquela boca que sempre admirei em suas fotos agora recebia minha língua e meus lábios, enquanto minhas mãos exploravam todo aquele corpo delicioso. Podia sentir a maciez de seus seios, a suavidade de sua nuca e ao tocar suas pernas expostas pelo vestidinho curto, não resisti e fui subindo acariciando cada milímetro de suas coxas.
Felizmente ela foi mais controlada e pediu para pararmos pois estávamos em um local público. Se eu continuasse acho que iria come-la ali mesmo.
Engraçado que ela tinha expressado preocupação se quando a conhecesse pessoalmente eu teria o mesmo tesão que passava em nossas trocas de mensagens e áudios. Mas como iria resistir, afinal suas fotos mesmo com roupas comportadas davam já para perceber as delicias daquele corpo.
Fomos até um bar, tomamos algumas bebidas e conversamos um pouco. Sempre que podia aproveitava para acariciar suas pernas, mesmo com pessoas próximas, mas sempre mantendo o respeito.
Não queríamos esperar muito e fomos para o hotel. Assim que chegamos eu já a agarrei e joguei contra a parede, roubando-lhe um beijo apaixonado e sentia que ela retribuía meu tesão, mesmo sendo timida e envergonhada. Tão envergonhada que não quis tomar banho juntos.
Eu tomei banho primeiro e fiquei a esperando na cama. Para melhorar o clima, apaguei as luzes do quarto e a única iluminação vinha da fresta da porta do banheiro. Ela voltou e estava enrolada na toalha que assim que tirei, descobri aquele corpo delicioso pois ela estava só de calcinha!
Eu já estava nú e pedi para ela se deitar de bruços. A visão daquele corpo quase nú me encheu ainda mais de tesão e comecei a massagear suas costas, dedicando atenção especial a sua nuca e ombros.
Assim fui descendo minhas mãos até começar a acariciar sua bundinha, mantendo ainda sua calcinha. Ela já se contorcia de tesão quando após massagear suas nadegas, coxas e pernas, comecei a beijar seus pés.
Fui lentamente subindo minha boca, sempre alternando beijos, chupadas, mordidas e lambidas por toda sua perna e subindo pelas costas e nuca. Neste momento deitei sobre seu corpo esfregando meu pau duro naquela bundinha deliciosa.
Em seguida fui descendo minha língua pelas suas costas e quando cheguei em sua calcinha, fui a descendo lentamente, chupando cada pedacinho de bunda que agora já estava nua.
Fiquei bastante tempo chupando aquela bundinha, inclusive abrindo aquelas nádegas e explorando aquele delicioso cuzinho.
Não sabia quanto tempo iria resistir sem penetrar logo aquela boceta que já estava encharcada, mas quis me controlar ao máximo para aumentar nosso prazer. A virei de frente e logo estava novamente com minha língua penetrando aquela boca gostosa, enquanto nossos corpos se esfregavam em tesão. Fui descendo meus beijos, agora dedicando chupadas leves e gostosas em seus seios fartos e gostosos.
Continuei descendo até alojar minha cabeça no meio de suas coxas e começar a chupar aquela boceta deliciosa, que pingava de tesão. A cada lambida em seu grelo ela gemia baixinho e seu corpo estremecia. Minha vontade era chupar e morder aquela bocetinha, mas sabia que eu queria dar o maior prazer a ela e por isto tocava sua vagina e principalmente seu grelinho com a maior suavidade possível, apenas com a ponta da língua ou passando os lábios.
Eu passava a língua desde seu grelinho, viajando pelos lábios de sua boceta até dar pequenas mordidas em suas nadegas e enfiando a língua em seu cuzinho, para então voltar a ponta de seu grelinho e penetrando minha língua em sua boceta.
Ela não aguentou e gozou deliciosamente em minha boca!
Deitei ao seu lado para ela se recompor, mas ela queria mais e sem desviar os olhos de meus olhos, ela me deu um delicioso beijo na boca e foi descendo até começar a beijar meu cacete.
A visão daquele rostinho lindo que tanto me excitava em suas fotos, olhando para mim e engolindo meu cacete duro me trazia um tesão incrível.
Deliciosamente experiente, ela abocanhava meu pau e depois o tirava da boca e descia com sua língua acariciando meu saco. Depois ela ia lambendo, desde de baixo do meu saco até a cabeça do meu pau. Precisei segurar o gozo que quase veio forte dentro de sua boca.
Não aguentava mais de tesão, coloquei uma camisinha e mudamos de posição, indo para cima dela e começando a penetrar aquela bocetinha molhada, apertada e quente.
Fui colocando muito lentamente, pois apesar de não ter um pênis grande eu não queria trazer nenhum desconforto ou dor para aquela menina linda e que me recebia pela primeira vez.
Em seguida comecei lentamente a bombar meu pau naquela boceta, enquanto ela gemia e beijava minha boca, agarrava minhas costas e me abraçava com as pernas. Ficamos assim por vários minutos até eu vira-la de costas, pedir para ela ficar de quatro e comecei a penetra-la por tras.
Meu pênis encaixava perfeitamente naquela vagina gostosa e nesta posição eu podia acariciar sua bunda e apertar seus seios, enquanto ela rebolava em meu pau.
O que já estava gostoso ficou ainda melhor quando ela pediu para eu mudar de posição, me deitando de costas e vindo por cima, sentando em meu cacete duro e começando uma deliciosa cavalgada sobre meu pau.
Incrível que aquela fofura de menina que no inicio estava tímida e envergonhada agora se transformou em uma tarada que cavalgava com tanta força que logo começou a gozar novamente. Este gozo foi tão profundo que ela quase desmaiou ao meu lado, de costas para mim.
Eu a abracei por trás, tipo conchinha e comecei a roçar meu pau naquela bundinha deliciosa, ela arrebitou a bunda e redirecionou meu pau para sua bocetinha.
Enquanto penetrava sua bocetinha por trás, alcancei um tubo de gel e com meus dedos comecei a massagear seu cuzinho.
Ela se mostrou incomodada e não desejava a relação anal, então disse para ela não se preocupar pois só faríamos o que trouxesse prazer a ela. E continuei a massagem em seu cuzinho enquanto a penetrava com delicadeza sua bocetinha e com a outra mão acariciava seu grelinho.
Jana ajudou que eu penetrasse com meus dedos e pediu para eu esfregar o meu pau em seu cuzinho, sem penetra-lo pois ela tinha receio de doer. Repeti que estávamos ali por prazer e não por dor e que não faria nada que a causasse incomodo.
Depois que já havia relaxado seu cuzinho com meus dedos, coloquei mais gel e comecei a esfregar meu pau naquele orifício. Ela parece que começou a gostar, segurou meu pau e começou a direciona-lo para dentro.
Felizmente eu não tenho um pau avantajado. Possivelmente o tamanho médio que permite uma mulher sentir tesão na penetração vaginal e não sentir dor em uma penetração anal.
Não sei qual de nós dois estava com mais tesão, mas assim que ela deu o primeiro gemido de dor quando entrou a cabeça do pau, eu parei e comecei a alisar com os dedos seu grelinho e com a outra mão, acariciava seus seios e sem forçar meu pau na entrada daquele buraquinho apertado. Não poderia estragar aquele momento delicioso por uma dor causada por descuido nosso.
Acredito que meus carinhos e ao se acostumar com a cabeça do meu pau a fez ter coragem e começou a vir com sua bunda em direção ao meu cacete, que agora deslizou para dentro daquele cuzinho deliciosamente. O tesão que ela sentiu foi tão grande que ela pediu para eu parar de acariciar sua bocetinha se não ela iria gozar e queria aproveitar aquela deliciosa sensação de estar sendo enrabada.
Mas mesmo parando de acaricia-la ela não aguentou e gozou muito gostoso, mexendo forte aquela bunda em movimentos ritmados e deliciosos.
Agora era eu que não aguentava mais.
Retirei meu pau de sua bundinha e a virei de costas, tirei a camisinha e comecei a punhetar sobre seus seios, apertando-os com meu pau no meio deles até que comecei a gozar muito gostoso naqueles seios deliciosos.
As primeiras gotas de meu leitinho saíram tão forte que caíram sobre aquele rostinho maravilhoso que sentia de olhos fechados o calor do meu sêmen. Ela adorou sentir meu leitinho quente escorrendo pelos seios e então foi minha vez de deitar e relaxar.
Mas mesmo o gozo não me fez perder a vontade de acaricia-la,
Enquanto descansávamos de uma transa deliciosa, eu acariciava seus cabelos e dava beijinhos em seu rosto e sua boca. Com certeza foi uma das trepadas mais gostosas que dei e espero que tenha sido tão bom para ela também.


Reportagem especial (UOL)
Dona de Casa revela na Internet: A pílula milagrosa que curou a disfunção erétil do MARIDÃO pra sempre! Ler matéria


Leia também
Minha tia ninfomaníaca completo há 1 dia

Bom hj vou contar pra vocês minha história real , ...
russobr Incesto 64


Minha cunhada Gostosa ! há 2 dias

Na época dessa história tinha uns 16 anos como já falei anteriormente ti...
russobr Incesto 67


Minha tia ninfomaníaca - Parte 1 há 2 dias

Bom hj vou contar pra vocês minha história real , Com minha tia " a mulh...
russobr Incesto 37


Minha tia ninfomaníaca - Parte 2 há 2 dias

Bom continuando a história. Naquele tinha descoberto meu pior lado, éo u...
russobr Incesto 25


Meu primeiro sexo anal inesquecível conto REAL há 2 dias

Meu primeiro sexo anal foi inesquecível, foi com meu ex namorado, hoje pai...
laureen Virgindade 70


Dei a bucetinha ao sogrão para acabar com as briga há 4 dias

Dei a bucetinha ao sogrão para acabar com as brigas ,sexo tesão,conto REA...
laureen Incesto 434