DE VOLTA À PIZZARIA - Capítulo 22

11 de Março de 2018 Carlao 1978 Traição/Corno 261

Reportagem especial (UOL)
Dona de Casa revela na Internet: A pílula milagrosa que curou a disfunção erétil do MARIDÃO pra sempre! Ler matéria


DE VOLTA À PIZZARIA

CAPÍTULO 22

ATENÇÃO

ESSE É O VIGÉSIMO SEGUNDO CAPÍTULO DA FASE 2 DA SÉRIE “A PIZZARIA”. ANTES DE PROSSEGUIR COM A LEITURA, LEIA, NESTE MESMO SITE, A FASE 1 DA SÉRIE ORIGINAL (A PIZZARIA), DO MESMO AUTOR. OBRIGADO.


DE VOLTA À PIZZARIA
CAPÍTULO 22

No dia seguinte, pela manhã, escutamos batidas na porta do quarto. Vera foi atender, mas eu continuei deitado, fingindo dormir.


Era a Ticiane, conversando baixo com a sua mãe, dizendo que teria que entrar no nosso quarto para se trocar, pois iria até a farmácia buscar remédios para a Denise, que se queixava de mal estar e dor de cabeça. Efeito da ressaca. Pensei comigo.


Quando ela entrou, Vera deixou a porta do quarto aberta, e após pegar a sua escova de dentes dirigiu-se ao banheiro do corredor, somente de calcinha.


Enquanto isso, Ticiane passou andando perto de mim, e pisando nos colchões que jogáramos ao chão, dirigiu-se até a sua bolsa, que estava em cima da cômoda, para escolher roupas limpas, e se trocar.



Imaginando-me dormir, lentamente tirou seu pequeno pijama com o qual passara a noite, e ficou totalmente nua enquanto escolhia o que vestir. Com um dos olhos semiabertos, primeiro a vi de costas exibindo o belo rabão, e depois vislumbrei sua dianteira de seios duros e a bucetinha toda lisa, apenas com um bigodinho de pelos na parte superior.



Após se vestir, silenciosamente, ela deixou o quarto. Transcorrido algum tempo, ainda de calcinha, Vera retornou do banheiro e veio deitar-se ao meu lado, nos colchões que estavam no chão.



Lembrando-me da recente visão do lindo rabo da sua filha, acariciei lhe a bunda e, sem delongas, ela percebeu que eu queria o seu cuzinho.



Também doida de desejo para dar-me a bunda, ela me disse:


—Ai, Edu! O que você está fazendo comigo, homem?


Mas, ela própria respondeu-me:


—Está me deixando com desejo atrás.


—Pena que o creme está no outro quarto, querido.


—Hoje eu tô doida de vontade, mas acho que não vai dar pra você fazer assim, Edu.


Apavorado, e com receio de perder o seu cuzinho apertado, eu lhe disse:


—Eu vou lá buscar, Vera. Entro quietinho no quarto, e pego.


—A Denise deve estar dormindo.


Ela me disse:


—Então vai logo, Edu.


—Vamos fazer antes de a Ticiane voltar.


Então, eu a deixei na cama, ou melhor, nos colchões ao chão, e fui até o outro quarto buscar o KY.



Entrei devagar, mas a Denise estava acordada e nua na cama. Esperta, quando me viu abrindo a gaveta da cômoda, deduziu que eu fora pegar o lubrificante, e perguntou-me :


—Você vai enrabar a Vera, Edu?


—Sim, Denise. Ela quer. Respondi-lhe.


—Huuum


Em seguida, perguntou-me:


—A Tici já voltou, Edu?


—Ainda não, Denise. Ela também irá passar na padaria pra trazer as quitandas e os pães do nosso café.


—Mas, logo estará aqui.


Daí, ela me diz algo deveras complicador:


—Ai, Edu. Estou com tesão.


—Vem deitar aqui comigo querido. Pediu-me.


—Mas a Vera está me esperando, Denise. Argumentei.


—Ah Edu! Vocês já passaram a noite juntos. Por favor, né.


—Calma, Denise. Eu vou lá e já volto.


Dengosa, pediu-me.


—Então deixa eu te chupar só um pouquinho, amor.


Concordei. E como eu havia dormido nu com a sua irmã, vestira apenas o meu short para ir ao nosso quarto buscar o lubrificante.


Então, de pé, aproximei-me da borda da cama onde ela estava e arriei o short, abaixo dos joelhos. Ainda deitada, Denise aproximou-se de mim; “engoliu” o meu pau mole, e o faz endurecer na sua boca.


Quando ficou totalmente duro, ela o retirou, e deu uma cuspida na cabecinha, na intenção de novamente abocanhá-lo. Porém, nessa hora, a porta do quarto se abre, e surge a Ticiane com uma sacola pequena nas mãos, que seriam os medicamentos que ela os fora comprar para a tia.



Eu estava praticamente nu, com a bunda toda de fora, e o meu short ainda arriado abaixo dos joelhos, enquanto a Denise segurava o meu cacete, agora duro, próximo ao seu rosto. E foi nessa cena que a Ticiane nos flagrou.


Talvez, não acreditando no que acabara de presenciar, Ticiane pareceu estar em choque, pois ficara imóvel na porta do quarto, apenas nos observando. E eu notei que ela não desgrudava os olhos do meu cacete duro, que a tia ainda o segurava.


Ao perceber a presença da sobrinha, Denise lhe ordenou severamente:


—Fecha logo a porta, Tici!


Em seguida, preocupada, perguntou à menina:


—A Vera viu você chegar?


Sem nada dizer, Ticiane apenas moveu a cabeça de um lado para o outro, na horizontal, e entendemos que a Vera não notara o seu retorno da rua.


Depois, Denise novamente perguntou a ela:


—Você quer espiar a gente, Tici?


Ainda sem dizer nada, agora Ticiane moveu a cabeça de um lado para o outro, na vertical, e entendemos a sua vontade.


Sabendo que ela nos espiava, livrei-me de vez do short, e fiquei totalmente nu, e de pau duro, com os pés no chão. Enquanto isso, a Denise permanecia deitada na cama, na mesma posição em que começara a me chupar.


Então, postando-se de quatro na beira da cama, Denise pediu-me.


—Coma a minha buceta pra Tici ver, amor.


E foi dizendo à sobrinha:


—Fique de lado pra você espiar melhor, Tici.


—Você ainda não deu, e por isso terá que prestar atenção!


—Veja como a sua tia gosta de um cacete duro na buceta.


—Toda mulher deve experimentar isso, Tici!


Então, antes de fazer a aproximação no traseiro da Denise a fim de penetrá-la, conforme me pedira, isto é, na bucetinha, e por trás, virei o meu pau duro para que a sobrinha pudesse vê-lo detalhadamente, e o fiquei segurando assim, com ela olhando-o de perto, até que a Denise me chamou:


—Põe logo, Edu.


—Não precisa fazer tanta frescura assim, só pra mostrar o bilau!


—Você tem é que foder gostoso pra ela ver.


—Só isso!



E daí, doido de tesão por saber que a Tici nos observava tão próxima, e com o show de safadeza da minha mulher, querendo agradar a sobrinha, empurrei lhe devagar o cacete na buceta. Ao senti-lo todo dentro, Denise gemeu dizendo:


—Aiiiiiiii. Edu.


—Que saudade do seu pau gostoso, meu amor!


Meu tesão foi aumentando e comecei a bombear sua buceta rapidamente. Após ouvir os gemidos da Denise anunciando o seu gozo, comecei a penetrá-la forte, e ela passou a gritar:


—AIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIII


—AIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIII



Na hora que eu também estava gozando, tirei rapidamente o pau da buceta, e os primeiros respingos do meu leite começaram a cair nas suas costas nuas enquanto, estupefata, a Ticiane àquilo tudo assistia.



Depois, Ticiane viu meu pau amolecendo, mas ainda molhado com as últimas gotas do gozo. Saí em direção ao banheiro carregando o short nas mãos, e deixei a Denise com as costas esporradas na cama.


Quando deixei o banheiro, Denise me disse:


—Agora vai logo lá, que ela está te esperando, Edu.


Então, deixei as duas sozinhas no quarto e, quando saí levando o tubo do lubrificante na mão, percebi que a sobrinha havia deixado as sacolas com os pães e a quitanda sobre a mesa da sala. Peguei-os e os deixei na mesa da cozinha, e fui novamente estar com a Vera.


Quando entrei no quarto, Vera havia adormecido nua sobre os nossos colchões ao chão. Não quis acordá-la, até mesmo para ganhar tempo extra e me recuperar da foda que acabara de ter com a minha mulher.



Continua no próximo conto...

e-mail [email protected]


Reportagem especial (UOL)
Dona de Casa revela na Internet: A pílula milagrosa que curou a disfunção erétil do MARIDÃO pra sempre! Ler matéria


Leia também
TEMPOS DE TERROR há 18 horas

TEMPOS DE TERROR Luciana está quase chegando na casa de seus avôs. Al...
marcela Fetiches 14


Enquanto Gustavo dormia... [a melhor parte] há 19 horas

Ontem, compartilhei com vocês uma gostosa aventura que tive, por intermé...
diegomelo Grupal 15


De virgem a puta num piscar de olhos há 19 horas

De virgem a puta num piscar de olhos Luciana, a Lu com 14 anos. É uma l...
marcela Sadomasoquismo 22


UMA HEROÍNA EM APUROS há 20 horas

UMA HEROÍNA EM APUROS - Pode entrar senhorita, o doutor Fernando a espe...
marcela Fetiches 9


Enquanto Gustavo dormia... há 2 dias

Hoje seria só mais um sábado sem graça, daqueles que a gente desliga o c...
diegomelo Jovens 50


bucetona gordinha e deliciosa da minha sogra caren há 3 dias

Meu amigo Julio mandou-me um conto sobre como fudeu sua sogra enquanto sua...
laureen Coroas 59